Vereador destaca a importância das unidades especializadas da PM/SE

Vereador destaca a importância das unidades especializadas da PM/SE
maio 06 16:18 2019 Imprimir Conteúdo

A Sessão Especial da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) desta segunda-feira, 6, se dedicou a destacar a importância de cada unidade especializada de policiamento para a sociedade aracajuana. O vereador Cabo Amintas (PTB), militar na reserva, utilizou a Tribuna da Casa Legislativa para destacar seu trabalho como voz ativa na defesa dos direitos da Polícia Militar.

Alguns representantes de unidades especiais subiram à Tribuna para falar sobre especifidades de suas funções. Entre eles o capitão Eduardo Barreto, comandante do Esquadrão de Polícia Montada (EPMon), destacando a necessidade de valorização da cavalaria. Também estiveram presentes representantes do Comando de Operações Especiais (COE) e a capitã Manuela Nunes, subcomandante do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), que além de destacar as funções exercidas por sua unidade, ainda salientou a importância de sua presença comandando a tropa, como a primeira mulher de sua posição.

“O policiamento de choque não é banalizado, nós cumprimos nossas obrigações. Eu me sinto muito honrada em ser subcomandante, principalmente por estar numa função em que sou a primeira mulher. Eu, capitã Manuela Gomes, sou a primeira mulher subcomandante de uma tropa de elite. Isso me honra. Me honra muito porque sei a representatividade que isso tem principalmente para as nossas policiais militares, nossas soldados e cabos. Muitas vezes é nosso dever abrir caminho para outras colegas ocuparem lugares assim também”, explicou.

Já Cabo Amintas, iniciou sua fala parabenizando os colegas de farda pelo grande trabalho exercido. Além disso, contou suas histórias particulares com algumas das unidades especializadas representadas na solenidade.

“Se houve um arrependimento em entrar na política, o arrependimento é deixar de usar essa farda nas ruas, podem ter certeza. Algumas unidades aqui me causam uma inveja boa. O EPMon, do qual nunca tive coragem de montar num cavalo daqueles. Os senhores fazem um belíssimo trabalho. E o COE porque para entrar é muito difícil e a gente tem que reconhecer nossas limitações. Já no Batalhão de Choque, eu tenho uma história muito bonita. Passei mais de uma década entre idas e vindas, e coincidentemente o BPChoque foi o meu primeiro Batalhão quando entrei na polícia, em 1992. O destino quis que fosse meu último batalhão. Quando me afastei para disputar as eleições, eu também usava essa farda rajada que me causa muita emoção”, compartilhou.

O parlamentar comentou ainda sobre uma suposta má vontade da imprensa local com os agentes da segurança pública. Como não poderia deixar de lembrar, Amintas ainda citou o mau remuneramento dos policiais e o polêmico ticket alimentação de apenas R$8.

“É lamentável que, muitas vezes, parte da imprensa vendida desse estado prefere apenas bater na polícia, não entendem que dentro dessa farda existe um ser humano. Existe um homem, uma mulher, que sai de casa ganhando pouco, há mais de 5 anos sem reajuste. Homens e mulheres que almoçam com oito reais, os senhores praças sabem o que é isso. Não são reconhecidos por esse governo e às vezes nem reconhecidos pela sociedade”, afirmou.

Por fim, o vereador e militar na reserva avaliou a presença de apenas dois parlamentares na sessão como uma amostra da falta de reconhecimento ao trabalho e importância dos policiais.

“Pasmem, senhores, essa Casa tem 24 vereadores. Se essa sessão fosse para homenagear um político famoso de Brasília, esse plenário estaria cheio de babões. Cheio de vereadores babões que não podem ouvir o nome de um deputado federal, já começam a se tremer. Não sabem o quanto precisam dos senhores. […] Os heróis de Sergipe são os policiais, homens e mulheres que estão nas ruas todos os dias, arriscando a vida. É o praça que dá um jeitinho porque o governo não dá uma boa logística, afinal, quem nunca fez um serviço que não era seu? Eu vivenciei isso. Sabe o que é isso? É querer ver as coisas dando certo, é querer combater a criminalidade. É por isso que eu quero ser a voz da Polícia Militar nessa Casa e aonde for. Os senhores estão de parabéns pelo grande trabalho que fazem, podem contar sempre com esse humilde vereador, que costuma de vez em quando perder o juízo nessa Casa. Porque costumo dizer: ‘Polícia de rua tem pouca paciência com vagabundo e o que tem de bandido usando terno e gravata, os senhores não fazem ideia’”, concluiu.

Fonte: Assessoria de imprensa do parlamentar

  Editoria: