Princípio de motim no Copemcan em São Cristóvão termina com dois internos feridos

Princípio de motim no Copemcan em São Cristóvão termina com dois internos feridos
abril 11 16:23 2020 Imprimir Conteúdo

O princípio de motim registrado neste sábado (11) no Complexo Penitenciário Doutor Manoel Carvalho Neto (Copemcan), no município de São Cristóvão terminou com dois internos feridos e a apreensão de várias armas de fabricação artesanal e facões.

Em nota, Secretaria de Justiça, Trabalho e Defesa do Consumidor (Sejuc) informou que a que confusão a começou quando presidiários do Pavilhão 5 tentaram render os agentes, que reagiram e dispararam tiros não letais [de borracha]. Mas, segundo a pasta, em seguida foi necessário usar armas letais porque os internos quebraram todas as grades das celas e usaram colchões como escudos para acessar a grade principal.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e encaminhou ambos para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). O quadro de saúde deles é considerado estável.
Veja o que diz a nota da Sejuc

Veja o que diz a nota da Sejuc

A Secretaria de Justiça, Trabalho e Defesa do Consumidor (Sejuc) informa que presos do Pavilhão 05, ala A, do Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), em São Cristóvão, tentaram render agentes no final da manhã deste sábado (11).

Os internos quebraram todas as grades das celas simultaneamente e usaram colchões como escudos para as munições não letais (projéteis de borracha). Assim, segundo os agentes, conseguiram acessar a grade principal,

Ao acessar a grande principal do pavilhão e sem cessar a progressão, mesmo com os disparos de arma não letal, houve a necessidade dos policiais penais dispararem tiros de arma letal, usando a técnica de progressão do uso da força.

Dois dos presos foram atingidos por munições letais e, assim, todos recuaram. Um interno foi atingido no braço e o outro na região do tórax. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado imediatamente e fez o atendimento aos internos. Ambos foram encaminhados para o Hospital e não correm risco de morrer.

Um procedimento administrativo foi instaurado, como de costume, para averiguar a situação. A Sejuc reforça que o uso progressivo da força foi utilizado de forma adequada e ressalta a atuação correta de seus policiais penais.

Foto Sejuc

Com informações do radialista Jailton Santana, no programa Jornal da Vida

  Editoria: