Prefeitura reverte receita dos leilões de bens inservíveis em equipamentos de TI

julho 17 06:08 2019 Imprimir Conteúdo

Inovar para progredir. É com esse pensamento que a Prefeitura de Aracaju encara os desafios e tarefas que lhe são demandados pela população. Um dos exemplos do uso da criatividade para solucionar problemas e otimizar o trabalho da gestão municipal é o leilão de bens inservíveis, avaliados como inviáveis para o setor público, porém, alvo de interesse de uma extensa rede comercial.

Essa estratégia, além de desafogar o gasto de recursos públicos com o armazenamento de bens não mais utilizados pelas secretarias e órgãos municipais, também serve para incrementar a arrecadação de receita do município. No último leilão realizado pela administração municipal, em abril deste ano, 95% dos lotes foram arrematados, gerando uma receita superior a R$96 mil, valor 165% a mais que o esperado. Os leilões são organizados e executados pela Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplog).

O secretário da Seplog, Augusto Fábio, afirma que, antes da realização dos leilões, a gestão municipal mantinha os materiais e objetos que estavam em desuso em galpões alugados, o que resultava em gastos com pessoal e insumos. Porém, conforme o secretário, esse cenário mudou na atual gestão municipal.

“Diante do volume significativo de bens inservíveis que a Prefeitura de Aracaju possuía, era necessário alugar  galpões, a um custo médio de R$10 mil por mês para guardar todo esse material. Antes, era necessário o aluguel de cinco galpões para armazenar todos os bens inservíveis da administração, e agora só é preciso um galpão, o que representa um avanço significativo. É uma economia significativa para os cofres públicos”, destaca o secretário do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Segundo o titular da Seplog, a transmissão simultânea do leilão, via internet, é um dos diferenciais criativos do processo, já que, desta maneira, o resultado é ainda mais positivo para a Prefeitura. “Ao perceber que poderíamos utilizar o lance virtual, através da internet, pudemos perceber que esse recurso atrai mais pessoas, inclusive de outros estados, deixando o leilão mais atrativo e concorrido, medida que, consequentemente, resulta numa arrecadação maior. No último leilão, em abril, por exemplo, nós esperávamos arrecadar, pelos valores de referência, R$58 mil, mas conseguimos quase o dobro, chegando a R$ 96 mil. Em boa parte dos bens vendidos durante o leilão, os lances chegaram pela internet”, destaca.

O primeiro leilão desenvolvido com o recurso da participação online ocorreu em outubro de 2018 e, desde então, os demais leilões seguem utilizando esta ferramenta, ampliando o acesso dos interessados ao evento.

Resultados

O setor de Tecnologia da Informação (TI) foi um dos departamentos da gestão beneficiado com os recursos arrecadados nos últimos leilões. De acordo com Sérgio Rosin, coordenador geral do setor na Seplog, o Planejamento Estratégico da Prefeitura demanda, cada vez mais, o trabalho com equipamentos tecnológicos, os quais nem sempre estavam ao alcance orçamentário da gestão. Mas, com o emprego das receitas obtidas a partir dos leilões, tem sido possível reestruturar a capacidade operacional.

“Parte do dinheiro do leilão foi investida na estruturação do nosso Data Center.  Através desses recursos, foi possível comprar equipamentos de rede, informática e novos servidores. Isto nos possibilita fornecer serviços de tecnologia para outras secretarias, como o compartilhamento de espaço e isso significa que várias necessidades da população estão sendo recebidas e processadas de forma mais rápida”, enfatiza.

Próximo leilão

Segundo o secretário Augusto Fábio, a administração municipal planeja realizar, ainda em 2019, outros leilões. “Em agosto realizaremos mais um leilão e, mais uma vez, todos os recursos serão convertidos em bens e serviços para a Prefeitura. Nesse sentido, nosso foco tem sido a área de tecnologia e informática, que é um investimento essencial para o desenvolvimento do trabalho da gestão municipal, atendendo a uma demanda que coopera com o trabalho de todas as secretarias”, destaca.

Fonte e foto Seplag

  Editoria: