Prefeitura de Aracaju mobiliza secretarias para mutirão de combate ao Aedes aegypti

julho 03 06:23 2019 Imprimir Conteúdo

Por determinação do prefeito Edvaldo Nogueira, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) reuniu representantes das demais pastas da gestão municipal, na manhã desta terça-feira, 2, e alinhou estratégias do Plano de Intensificação das Ações de Combate ao mosquito Aedes aegypti. A realização de mutirões, uma das 20 diretrizes preventivas do Plano, será iniciada já neste sábado, dia 6, no bairro Japãozinho, das 8h às 12h, ação que mobilizará diversas secretarias e órgãos da Prefeitura de Aracaju.

A secretária municipal da Saúde, Waneska Barbosa, ressalta que, mesmo a capital não estando entre as cidades do estado com risco de epidemia de doenças transmitidas pelo mosquito (Dengue, Zika e Chikungunya), a prevenção é de extrema importância quando considerada a situação de epidemia em municípios do interior sergipano e em cidades do Sul e Sudeste do país.

“Nosso foco é não só impedir que o risco de epidemia chegue à capital, mas também baixar os índices relacionados às doenças transmitidas pelo mosquito. Precisamos trabalhar ainda mais a prevenção. Por isso, seguindo a determinação do prefeito Edvaldo Nogueira, nos reunimos com os representantes das secretarias para alinhar as ações que serão trabalhadas intersetorialmente. Vale lembrar que estamos falando de intensificação porque, durante todo o ano, realizamos ações contínuas em todos os bairros da cidade, e é justamente por essa razão que não estamos com risco de epidemia, ao contrário de outras cidades do estado e do país”, afirmou Waneska Barboza.

De acordo com Waneska, durante a reunião, foi apresentado um levantamento da atual situação de Aracaju. “Por se tratar de uma ação conjunta, todas as secretarias precisam estar cientes de tudo o que já fizemos e planejamos desenvolver, agora, com a intersetorialidade. Os representantes colocaram sugestões; disponibilizaram pessoal para ampliar nossas equipes, servidores estes que serão capacitados para a busca de focos do mosquito em campo; teremos um drone à disposição para identificar locais de difícil acesso; a Guarda Municipal de Aracaju dará apoio nas buscas noturnas. Estamos empenhados para ampliar as ações e chegar ao nosso objetivo”, destacou a secretária.

Além dos mutirões, dentro do plano foram estabelecidas, também, a designação de equipes de agentes durante a noite, das 19h às 22h, para visitar casas que estavam fechadas durante o dia; visitação de todas as escolas para eliminação dos focos; trabalho de campo em quatro sábados por mês; aplicação do fumacê costal; realização do Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa); monitoramento quinzenal estratégico dos pontos de proliferação; entre outras diretrizes.

A diretora de Vigilância e Atenção à Saúde, Taíse Cavalcante, frisou que a participação da população é de extrema importância para garantir a eficácia do Plano. “As pessoas precisam colaborar para não termos o foco. É uma força conjunta e integrada dentro das secretarias, mas também entre os moradores da capital, já que o que desejamos é um benefício comum a todos. Mesmo que Aracaju esteja fora do risco de epidemia, já tivemos casos muito graves da cidade. Já foi confirmada pelo Lacen [Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe] a presença dos vírus Tipo 1 e Tipo 2. O vírus Tipo 2 circulou em Aracaju em 2008, na epidemia que houve. É um tipo mais agressivo da doença e, por isso, todas as ações de intensificação são extremamente importantes, mas, a população precisa se conscientizar que o papel mais importante quem cumpre é ela”, reforçou.

No mutirão do próximo sábado, além da SMS, atuarão as secretarias municipais da Educação (Semed), da Defesa Social e Cidadania (Semdec), do Meio Ambiente, da Comunicação e da Assistência Social, além das empresas municipais de Serviços Urbanos (Emsurb) e Obras e Urbanização (Emurb), a Guarda Municipal de Aracaju (GMA) e Defesa Civil de Aracaju.

Situação epidemiológica

Dados da SMS apontam que de janeiro a junho deste ano, foram notificados 707 casos de Dengue, 61 de Chikungunya e 31 de Zika, dos quais foram confirmados 143 de dengue, seis de chikungunya e nenhum  de zika.

De maneira geral, pelo número de habitantes da cidade, Aracaju foi classificada com baixa incidência para epidemia, sendo que, há quatro semanas seguidas, está sendo registrada a queda da incidência dos casos notificados, o que não significa que as ações devem diminuir.

Uma das preocupações tem relação com as crianças. Ainda segundo a SMS, até o dia 26 de junho, 50,3% dos casos notificados eram de pessoas menores de 14 anos. “Como a epidemia em Aracaju aconteceu em 2008, temos crianças de 11 pra baixo que não tiveram contato com o vírus mais agressivo, então, a probabilidade e a suscetibilidade de eles adoecerem é maior. As pessoas precisam ter mais cuidado com a prevenção, eliminar os focos e larvas e se manterem atentas”, reforçou Taíse.

Fonte e foto SES

  Editoria: