Prefeitura cria Central de Regulação de Leitos e otimiza atendimento

Prefeitura cria Central de Regulação de Leitos e otimiza atendimento
abril 29 06:23 2020 Imprimir Conteúdo

Para o atendimento específico de pacientes com covid-19 que necessitem de internamento, a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), vem estruturando mais de 200 leitos de retaguarda, os quais, a partir desta semana, estão sendo administrados pela Central de Regulação de Leitos da SMS.

Dos leitos estruturados, já estão em funcionamento os sete leitos da UPA Fernando Franco, 20 leitos contratados no Hospital São José, 20 leitos no prédio do Centro de Apoio Psicossocial (Caps) Jael Patrício de Lima e os 30 leitos no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), sendo 14 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 16 de enfermaria de retaguarda. Ainda estão previstos sete leitos na UPA Nestor Piva e mais 152 leitos que funcionarão no Centro de Atendimento Provisório, o hospital de campanha.

“Diante do avanço no número de casos confirmados e já pensando na necessidade de internamento de alguns desses, entendemos que a criação dessa Central de Regulação de Leitos irá nos auxiliar no sentido de termos uma noção real do que o sistema dispõe. A partir das solicitações, o médico regulador visualizará os casos de acordo com o nível de prioridade e terá condições de direcionar de forma mais precisa o paciente de acordo com o leito, e esse sistema funcionará tanto para os leitos já disponíveis, quanto para os que estão sendo montados no hospital de campanha”, explica a secretária da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza.

Atualmente, o paciente com sintomas de síndrome gripal ou que se configura como caso suspeito de covid-19 tem duas portas de acesso: pela Unidade Básica de Saúde – através das oito unidades de referência -, ou através dos serviços de urgência, pelo Hospital Fernando Franco ou Nestor Piva.

Conforme explica a coordenadora da Regulação de Leitos de Aracaju, Talita Siqueira, a partir do momento em que o paciente entra por um desses acessos e precisa ser internado, com caso suspeito ou confirmado de covid-19, o médico vai fazer a solicitação de vaga.

“Quando o médico da unidade faz a solicitação, esse pedido chega na Central através do Sistema IDS, e o médico regulador vai avaliar, classificar a prioridade, ver qual o perfil desse paciente e para qual unidade de retaguarda ele vai”, afirma a coordenadora da Regulação.

De acordo com Talita, essa equipe da Central de Regulação de Leitos de Aracaju é composta de médicos e enfermeiros que já faziam parte do Núcleo de Controle, Avaliação e Regulação (Nucar) da SMS e irão atuar de maneira que o serviço de regulação funcione 24h. São esses profissionais que irão receber as solicitações de vagas de leitos e destinarão, via sistema, para onde o paciente será encaminhado.

“O primeiro passo para ele solicitar a vaga é preencher o formulário, sinalizando se é para leito de enfermaria ou UTI. Após o preenchimento, o paciente vai ser direcionado para uma classificação de prioridade nas cores verde, amarelo ou vermelho. Quando chega a solicitação no sistema, o médico regulador já visualiza a classificação do paciente, iniciando a regulação pelos pacientes vermelhos, que serão classificados como os casos mais críticos”, detalhou a coordenadora, explicando que após a devolutiva com a liberação do leito, o médico solicitante já recebe a informação sobre para qual o unidade e leito que o paciente será deslocado.

Serviço ativo

Para os pacientes que necessitarem de internação em leitos de enfermaria ou ainda casos com quadro de saúde mais estável, o transporte do paciente será realizado pela ambulância disponibilizada pela própria Secretaria Municipal da Saúde. “Se for um caso mais grave, que precise de uma ambulância avançada com equipe completa de médico, enfermeiro, técnico e condutor, é direcionado ao Samu, visto que são pacientes mais críticos”, ressalta Talita Siqueira.

A Central de Regulação de Leitos de Aracaju já está ativa e realizou a primeira transferência nesta segunda-feira (27) – um paciente acolhido no Hospital Fernando Franco, que foi transferido para um dos 20 leitos contratados no Hospital São José.

“A vantagem de Aracaju estar com essa Central de Regulação de Leitos é que consegue otimizar essas transferências com mais autonomia, onde conseguimos acompanhar em tempo real o que temos disponível e qual a nossa necessidade no momento. Além de termos a retaguarda de leitos críticos para direcionar esses pacientes”, avalia a coordenadora da Regulação de Leitos de Aracaju.

Alinhar protocolos

Acompanhada da equipe do Núcleo de Controle, Avaliação e Regulação (Nucar) da SMS, a secretária Waneska Barboza apresentou nesta segunda (27) às entidades médicas e equipe técnica da Secretaria Estadual da Saúde (SES) o protocolo de regulação criado pela Saúde de Aracaju para ocupação dos leitos de retaguarda da covid-19 na capital, com o objetivo de alinhar protocolos de atendimento no enfrentamento da pandemia.

Foto Sérgio Silva

  Editoria: