Prefeitura altera sistemática de distribuição de remédios nas UBS durante pandemia da covid-19

Prefeitura altera sistemática de distribuição de remédios nas UBS durante pandemia da covid-19
março 31 06:27 2020 Imprimir Conteúdo

As farmácias das Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Aracaju estão funcionando com uma nova sistemática. Nas seis unidades que já estão funcionando como referência para o atendimento às síndromes gripais, a dispensação de medicamento só ocorre para grupos específicos de usuários e, nas demais unidades da capital, o horário foi estendido.

Além disso, a prescrição está sendo ampliada para até seis meses de tratamento. Todas essas mudanças, segundo a coordenadora da Rede de Assistência Farmacêutica e Insumos (Reaf) da Secretaria Municipal da Saúde, Cyndi Heleinne Pires Santos, foram pensadas para proteger a população nesse momento de intensificação de cuidados.

“A Secretaria tem se preocupado, também, com os usuários que não estão com síndromes gripais. Essas pessoas, para evitar aglomerações e o contato com quem apresenta sintomas gripais e pode estar contaminado, estão sendo direcionadas para as demais unidades da rede”, explica Cyndi Santos.

Segundo ela, as oito unidades que serão sentinelas para os casos de síndromes gripais são as UBS Augusto franco, no conjunto Augusto Franco; Geraldo Magela, no conjunto Orlando Dantas; Ministro Costa Cavalcante, no Inácio Barbosa; Fernando Sampaio, no Castelo Branco; Cândida Alves, no Santo Antônio; Eunice barbosa, no Coqueiral; José Machado, no Santos Dumont, e a Onésimo Pinto, no Jardim Centenário.

“Todas essas Unidades estão referenciadas para casos de síndromes gripais e receberão somente esses casos, seja para atendimento ou para dispensação de medicamentos”, ressalta. Além deles, os usuários que são listados para a dispensação de remédios nessas oito unidades são os que utilizam tiras de glicemia e insulina, assim como os acamados.

“Os usuários que atendem a outras condições de saúde são orientados a procurar as demais 37 unidades de saúde para ter acesso aos medicamentos”, reforça. Nessas unidades, como previsto no Plano de Contingência da Prefeitura, o atendimento foi estendido e pode ser feito das 7h às 20h. “Porque elas que vão receber a demanda”, justifica Cyndi.

A coordenadora explica que a validade das receitas também está sendo estendida, de modo que a prescrição de medicamentos comuns de uso contínuo, por exemplo, terá validade de seis meses. “No entanto, a dispensação segue ocorrendo de 30 em 30 dias. Já para medicamentos sujeitos a controle especial, foi autorizada a ampliação do quantitativo e do período máximo aos usuários, contemplando seis meses de tratamento, de acordo com o estoque disponível”, revela.

Para que isso ocorra, porém, os prescritores deverão realizar a prescrição de acordo com a nova resolução. A dispensação de medicamentos para usuários dos Programa de alergia alimentar, osteoporose e parkinson também sofreu alteração.

“Nesses casos, segundo Cyndi, os usuários irão diretamente à farmácia de não padronizados, no Cemar Siqueira Campos, munidos da documentação pertinente, para ter acessos aos medicamentos ou suplementos alimentares”, orienta a coordenadora.

Cyndi lembra que, para ter acesso aos medicamentos, é necessária a apresentação do documento de identidade, cartão SUS, cartão pasta-família ou comprovante de endereço para usuários extra área (aqueles cujo território não tem agente de saúde), receita original e cópia.
AAN
Foto André Moreira

  Editoria: