PMA e entidades avaliam impacto positivo do isolamento social no atendimento de saúde

PMA e entidades avaliam impacto positivo do isolamento social no atendimento de saúde
abril 13 12:50 2020 Imprimir Conteúdo

O prefeito Edvaldo Nogueira se reuniu novamente com representantes das entidades de Saúde, na manhã desta segunda-feira, 13, para falar sobre as ações de combate ao coronavírus em Aracaju. No encontro desta semana, eles avaliaram o impacto das medidas de isolamento social na contenção do avanço do vírus na cidade. De maneira unânime, os profissionais de Saúde concordaram que a estabilidade no número de casos na capital se deve às medidas restritivas de circulação adotadas desde o mês de março. O prefeito e a secretária da Saúde, Waneska Barboza, também expuseram as ações que estão sendo desenvolvidas para melhorar o fluxo de atendimento dos pacientes e a estrutura de retaguarda.

“Este encontro com as entidades tem sido muito importante, não somente pelo debate, mas também pela contribuição que os profissionais estão dando para o nosso trabalho de enfrentamento ao coronavírus. A partir das discussões colocadas aqui, a Prefeitura tem aprimorado suas ações e o fluxo de atendimento aos pacientes com síndromes gripais. Nós mantemos todos os representantes informados do que estamos fazendo, ao mesmo tempo em que ouvimos sugestões e tomamos conhecimento das demandas de cada categoria que está na linha de frente desse combate, atendendo a população aracajuana. Conseguimos essa somação de esforços e isso me deixa muito feliz porque o sentimento neste momento é de união”, destacou o prefeito.

O presidente do Sindicato dos Médicos, João Augusto Oliveira, reconheceu a eficácia das medidas de restrição da circulação de pessoas na cidade, adotadas pela Prefeitura. Para ele, as determinações foram fundamentais para diminuir os impactos no sistema de saúde da capital. “Desde a primeira reunião temos levantado essa necessidade de restrição real para que não houvesse os avanços dos casos. Estamos vendo os reflexos das ações adotadas pela Prefeitura lá atrás, então existe uma falsa impressão, para alguns, que são críticos dessa postura, de que aqui tem poucos casos. E não é. A situação foi reduzida porque as condutas foram tomadas previamente”, afirmou.

“Medidas duras foram fundamentais”

Da mesma forma, o presidente do Conselho Regional de Enfermagem, Diego Rafael Borges, ressaltou que as medidas adotadas pela administração municipal “têm sido fundamentais”. “O que estamos vendo hoje é o fruto do trabalho iniciado antecipadamente. A Prefeitura de Aracaju começou antes, tomou medidas duras, e isso foi fundamental para os resultados obtidos e que demonstram a eficácia e eficiência do isolamento social. As medidas adotadas pela gestão são de suma importância para que as pessoas sejam contaminadas gradativamente e assim consigam ter a imunidade, sem que o sistema de saúde entre em colapso. Este é o quarto encontro que temos com o prefeito e estamos felizes de ver que nossos apontamentos estão sendo executados. Nosso foco aqui é atender a população da melhor maneira possível e, neste sentido, parabenizo a Prefeitura de Aracaju”, salientou.

Diego enfatizou ainda a importância dos estudos realizados pela Prefeitura para combater a pandemia na capital sergipana de maneira programada. “Desde a primeira reunião temos visto que a gestão vem se baseando em estudos e tem aproveitado aquilo que a tecnologia pode oferecer, então, a partir do momento em que também passarão a usar estudos realizados por docentes, pesquisadores, a gestão adotará medidas ainda mais acertadas”, frisou.

O presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito), Jader Pereira de Farias Neto, elogiou a iniciativa da gestão municipal por abrir o espaço de diálogo. Ele também parabenizou a Prefeitura pelo combate ao coronavírus desde as primeiras medidas adotadas. “Em todo este período, só chegou uma única demanda para nós através da ouvidoria do Conselho, que foi rapidamente resolvida pela Secretaria da Saúde. Isto é muito positivo. O isolamento social é muito necessário e nós sabemos disso. A Prefeitura tem tomado decisões acertadas”, declarou.

Também participaram da reunião o presidente da Sociedade Médica de Sergipe, José Aderval; o presidente do Conselho Regional de Medicina, Jilvan Pinto; e o presidente do Conselho Regional de Odontologia, Anderson Lessa.

AAN
Foto Ana Licia Menezes

  Editoria: