Município de Aracaju reduz em 50% de casos confirmados de dengue

Município de Aracaju reduz em 50% de casos confirmados de dengue
maio 03 07:39 2019 Imprimir Conteúdo

Aracaju registrou metade dos casos confirmados de dengue nos meses de março e abril em relação ao mesmo bimestre do ano passado. De acordo com os últimos dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), registrou 10 casos da doença em 2018 e apenas cinco este ano.

Quando a comparação envolve os últimos seis anos, a queda fica ainda mais evidente. Em 2014 foram 196 casos confirmados neste mesmo período (março e abril), contra 842 em 2015; 175 em 2016; 22 em 2017; 10 em 2018 e cinco em 2019.

“Se compararmos os três últimos anos da gestão passada com os três primeiros da atual, vemos uma clara melhora no número de casos. Enquanto foram registrados 1.213 casos entre 2014 e 2016, de 2017 a 2019 confirmamos apenas 37. Ou seja, com as ações de controle do vetor que começaram a ser praticadas na gestão do prefeito Edvaldo Nogueira conseguimos reduzir as confirmações de dengue em 97%”, revela a secretária da Saúde, Waneska Barboza.

Chikungunya e Zika

As outras duas principais doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, a chikungunya e o zika vírus, também tiveram queda nos casos confirmados. “Nos meses de março e abril do biênio 2015/2016, Aracaju registrou 249 casos de chikungunya e dois de zika. Já em 2017/2018 foram 24 de chikungunya e um de zika. Isso significa uma redução de mais de 90% dos casos da primeira doença e 50% na segunda, respectivamente. Mas o melhor é quando analisamos este ano, em que absolutamente nenhuma confirmação de ambas infecções foi registrada até o momento”, complementou a diretora de vigilância e atenção à Saúde, Taise Cavalcante.

A diretora destaca também que a drástica queda dos números de casos confirmados é fruto de uma série de ações conjuntas entre diversos setores e secretarias da Prefeitura. “Fazemos coletas de pneus em parceria com a Emsurb, abordamos os perigos do Aedes em palestras articuladas pelo Programa Saúde na Escola, que é uma atuação conjunta da SMS com a Secretaria da Educação; fazemos capacitações com nossos agentes para que eles sempre estejam bem informados sobre os ciclos de reprodução do vetor e das maneiras mais eficientes de eliminação dos focos. Porém, nada disso é efetivo se a população não atuar junto com o município, pois evidenciamos em nossos levantamentos que 75% dos focos encontrados na Capital estão dentro das casas das pessoas”, alertou a diretora.

Em março, os principais bairros de atuação da Prefeitura foram Capucho; 13 de Julho; Dom Luciano; Santa Maria; Pereira Lobo; Coroa do Meio; 18 do Forte; Santos Dumont e Cidade Nova. Já em abril, os esforços foram concentrados no Jardim Centenário; Aeroporto; Capucho; Ponto Novo; Santa Maria e Inácio Barbosa.

Ações em números

Entre as ações, alguns registros podem ajudar a quantificar o trabalho da Prefeitura no controle do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika em Aracaju. São eles:

– Nos meses de março e abril, que foram referência para último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) divulgado, a Prefeitura de Aracaju realizou 28 bloqueios de transmissão com fumacês costais e quatro grandes mutirões nos bairros mais críticos, em finais de semana intercalados.

– Os bloqueios foram realizados em 397 quarteirões de diferentes bairros da capital, o que significa 17.932 visitas, sem considerar as inspeções que já são efetuadas rotineiramente pelas equipes de agentes de combate às endemias.

– Apenas nos últimos dois meses, os agentes visitaram 59.125 casas, 8.632 estabelecimentos comerciais, 2.732 terrenos baldios e 5.732 imóveis diversos (como escolas, hospitais e igrejas, por exemplo). O montante total de imóveis foi de 76.221.

– Durante as inspeções foram mapeados e visitados a cada 15 dias 992 pontos estratégicos, que são locais onde as condições são mais propícias ao desenvolvimento e à proliferação do mosquito.

– Durante as visitas foram utilizados aproximadamente 200 litros de calda de malathion, que é o produto químico utilizado no combate ao Aedes em Aracaju.

Agência Aracaju de Notícias

Foto Ascom/SMS

 

  Editoria: