Impedido de falar sobre denúncias de fraudes em shows Cabo Amintas chama Nitinho de mentiroso

Impedido de falar sobre denúncias de fraudes em shows Cabo Amintas chama Nitinho de mentiroso
maio 09 10:03 2019 Imprimir Conteúdo

 

Na manhã desta quarta-feira, 8, o vereador Cabo Amintas (PTB) se pronunciou pela primeira vez desde a decisão judicial noticiada pelo Ministério Público Estadual e reproduzida por setores da imprensa, que determina medidas cautelares contra o parlamentar. Entre as medidas, está a que impede o acesso do vereador à tribuna da Câmara para falar sobre fraudes na contratação de bandas artísticas e a proibição de requerer a instalação de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), bem como de subscrever requerimento para instauração de CPI sobre o tema. O vereador também é proibido de conceder entrevistas para qualquer meio de comunicação acerca das mesmas fraudes citadas.

Entrevistado pelo repórter Rafael Carvalho, ao vivo no SETV 1ª Edição, Amintas deu os primeiros esclarecimentos, mesmo que de forma superficial devido ao impedimento de falar detalhadamente sobre o que já vem denunciando.

Logo de início, o parlamentar esclareceu que apesar de ainda não ter sido notificado, seu respeito pela justiça o fez cumprir a decisão anunciada de forma imediata. Além disso, o parlamentar chamou o presidente da Casa Legislativa, Nitinho Vitale (PSD), de mentiroso. Nitinho é um dos denunciantes no processo em questão.

“Nós não fomos notificados ainda, não tivemos acesso à decisão da Justiça. Mas, já antecipadamente, respeitamos. Não vamos tratar dessa denúncia, não vamos nos manifestar sobre essa questão que o juiz me proíbe de falar. Tenho respeito à justiça, não vou falar. Mas agora, não posso deixar de falar que o vereador Nitinho é um mentiroso, é um mentiroso. As pessoas vão saber o que está acontecendo no momento exato. Nós vamos responder a tudo, assim que liberados pela Justiça. Porque infelizmente, nesse momento, eu sou apenas um saco de pancadas”, desabafou.

“Nós cumprimos a lei. E se nesse momento a justiça nos proíbe de falar sobre esse assunto, que trouxe à tona tudo isso, infelizmente eu tenho que me calar”, continuou.

Amintas ressaltou, em outro momento, seu respeito pelas instituições e decisões da justiça. Diante das medidas cautelares que impedem sua fala, o militar da reserva não se mostrou interessado em burlar o decreto do juiz.

“Eu não posso falar sobre este assunto. Diferente de alguns parlamentares, eu respeito as decisões judiciais. Então não vou correr o risco de ser preso comentando um assunto que não devo. Cada um sabe o que disse e o que fez. Não vamos nos pronunciar sobre o assunto que o juiz nos proibiu, as pessoas têm que entender que no momento exato nós vamos falar”, afirmou.

Apesar disso, Amintas não se furtou em apontar a necessidade de provas contra ele. Ele também destacou que irá dar continuidade a seu trabalho na Casa e esperar até que possa mostrar se pronunciar.

“Agora quem disse [quem acusou, no caso] tem que provar. Vamos continuar fazendo o trabalho nos bastidores, vamos continuar defendendo a população aracajuana, e nesse momento, nos defendendo do que vier ‘de lá pra cá’. É muito simples, hoje as coisas acontecem através de um ‘eu ouvi dizer’ ou ‘eu falei aquilo’. Em relação à proibição da justiça, é isso: não vou falar. Mas só não vou falar porque estou proibido. Porque a coisa que eu mais quero no momento é que os advogados resolvam essa questão cautelar. Analisem: eu sou um vereador e não posso entrar no gabinete do presidente. Lembrando que essa casa só tem um gabinete! Eu sou um vereador e não posso subir na tribuna pra falar de um determinado assunto. As pessoas têm que entender isso. Eu não estou falando aqui porque não posso”, concluiu.

Fonte: Assessoria de imprensa do parlamentar

 

  Editoria: