Gravações feitas pela Polícia Federal teriam levado Valdevan Noventa à prisão

Gravações feitas pela Polícia Federal teriam levado Valdevan Noventa à prisão
dezembro 08 05:57 2018 Imprimir Conteúdo

O deputado federal eleito Valdevan Noventa (PSC) teria sido preso, em operação da Polícia Federal, em razão de ligações telefônicas captadas e gravadas pela PF, por determinação da Justiça. A informação chega por volta dos 00,3 minutos deste sábado (08) e foi passada por uma fonte bem avisada e de absoluta confiança.

As gravações foram ouvidas pelo Ministério Público Eleitoral desde início da campanha em que se revelou uma série de irregularidades praticadas pelo candidato, além de outros fatos que não foram revelados, assim como o conteúdo das gravações. Há comentários de que Valdevan Noventa não será diplomado.

O deputado federal eleito Valdevan 90 (PSC), preso nesta sexta-feira (07) pela Polícia Federal, em frente a uma churrascaria na praia de Atalaia, por volta do meio dia, já foi transferido para a Penitenciária de Estância e vai ficar lá até uma nova decisão judicial.

Com Valdevan também foi para a Penitenciária de Estância o seu assessor Evilásio, preso na mesma operação da PF nesta sexta-feira. Valdevan e o seu assessor prestaram depoimento na Polícia Federal sobre inserção de declarações falsas em prestação de contas de campanha durante as eleições deste ano.

Segundo informações de fonte bem avisada, Valdevan Noventa está com quatro advogados em sua defesa, os quais já entraram com hábeas corpus para tentar desfazer a prisão e vão tentar que já seja concedida neste sábado (08). Até o momento não se tem informação do detido pela PF em Taboão da Serra (SP)

Em São Paulo, quando vereador em Taboão da Serra (SP), Valdevan foi investigado em outubro de 2009, suspeito de lavagem de dinheiro para o PCC, segundo noticia publicada na Folha de São Paulo.

Operação da Polícia Federal

Em nota divulgada no inicio da tarde desta sexta-feira, A policia federal informou que foi deflagrada a Operação Extraneus, com o intuito de apurar a inserção de declarações falsas em prestação de contas de campanha por parte de candidato eleito ao cargo de Deputado Federal pelo Estado de Sergipe nas eleições de 2018.

Segundo a PF, ass investigações indicam que o candidato, utilizando-se de “laranjas”, simulou a realização de diversas doações em favor de sua campanha, nela aportando valores cuja origem é desconhecida para o custeio de suas despesas.

Além disso, no curso das apurações, verificou-se a atuação dos envolvidos com o intuito de direcionar os relatos dos “laranjas” chamados a prestarem esclarecimentos, como forma de mascarar a realidade dos fatos. São cumpridos 03 (três) mandados de busca e apreensão e 02 (dois) mandados de prisão preventiva nas cidades de Aracaju/SE, Estância/SE e Taboão da Serra/SP e os envolvidos estão incursos, até o momento, no crime do art. 350, caput, do Código Eleitoral, sem prejuízo de novas imputações a serem verificadas na sequência das apurações.

A operação policial foi assim denominada em alusão ao fato do investigado ter sido eleito por Sergipe, mesmo sem ligação domiciliar recente com o Estado, uma vez que, há muitos anos, é radicado em outra unidade da Federação.

Munir Darrage

  Editoria: