Governo de Sergipe acolhe e oferece apoio aos alunos no primeiro dia do Enem

novembro 04 13:00 2019 Imprimir Conteúdo

Primeiro dia de provas contou com a presença de 79,7% dos candidatos inscritos em todo o Estado

O último domingo, 3, foi dia de prova para 5,1 milhões de estudantes que participaram do primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em todo o país. Em Sergipe, dos 78.487 candidatos aguardados, 62.543 candidatos compareceram aos locais de prova, 15.944 se ausentaram, totalizando 79,7% de comparecimento em todo o Estado. O Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), esteve presente acolhendo os alunos nos principais locais de prova, a exemplo dos campi da Universidade Federal de Sergipe e Universidade Tiradentes, da Faculdade Pio X, da Fanese e no Colégio Estadual Dom Luciano e em escolas do interior do Estado. Também aconteceu acolhimento em todas as diretorias regionais de educação do Estado.

Foram instalados toldos onde as equipes da Seduc ofereciam aos alunos água mineral, caneta preta e uma palavra de apoio para os estudantes enfrentarem as questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias, e a Redação. No próximo domingo, 10, a infraestrutura e a logística do governo novamente se fará presente.

O secretário de Educação, professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, esteve presente nos diversos locais de acolhimento, levando aos alunos da rede pública o seu abraço e o desejo de boa sorte. “Hoje é o primeiro passo que eles dão em direção à realização do sonho de conseguir uma vaga no ensino superior. O Enem é a porta de entrada para isso, então viemos dar nossa mensagem de apoio a esses jovens que tanto estudaram e se esforçara o ano inteiro”, disse o secretário.

O superintendente executivo da Seduc, professor José Ricardo de Santana, também esteve presente e destacou que esse acolhimento é importante para poder dar aos alunos aquela confiança e lembrar que agora eles estão na reta final. “Precisam ter confiança, se concentrar nas provas e torcer que vai dar certo”, afirmou.

A logística do acolhimento contou também com o transporte dos alunos do interior que precisaram fazer as provas na capital. Segundo a diretora do Dase, Eliane Passos, todos os municípios que solicitaram transporte foram atendidos, visando garantir a presença dos alunos nos locais da prova. Ela ainda falou sobre a importância do acolhimento. “Essa atividade é de grande importância no conjunto de ações do Programa Pré-Universitário e da rede pública estadual em si. Como sempre, a gente mobiliza servidores para trabalhar no acolhimento, para fazer esse último contato com os estudantes, fazendo com que eles entrem motivados, entusiasmados, levando para a prova um pouco da nossa energia positiva”, afirmou.

A diretora do Departamento de Educação (DED/Seduc), Ana Lúcia Lima Rocha, fez parte do acolhimento e ajudou a motivar os candidatos. “É importante os alunos saberem que nós acreditamos no potencial deles. Hoje é um dia especial porque o Enem é a porta de entrada para o ensino superior. Esse acolhimento e essa motivação darão mais confiança aos nossos estudantes”, disse.

Ansiedade e esperança

Algumas horas antes de abrir os portões, em cada um dos locais de prova, os alunos começavam a chegar aos poucos. Em seus rostos via-se um misto de esperança e ansiedade. Esperando o horário da prova no toldo da Seduc em frente a UFS, a jovem Elizabete Santos Amoroso, aluna do Pré-Universitário no polo do Colégio Estadual Professora Glorita Portugal, disse que estava um pouco nervosa, mas que se sentia preparada. “Estudei o ano inteiro focada no Enem. Ontem me deitei cedo, mas nem consegui dormir direito. Fui revisar os assuntos e fiz isso novamente hoje pela manhã. Tive uma preparação muito boa no Glorita Portugal, os professores nos ajudaram bastante, fizemos muitas revisões e simulados”, disse ela, que pretende cursar Medicina ou Enfermagem.

Já o seu colega, Anderson Oliveira dos Santos, ainda está indeciso entre Engenharia e Matemática. Ele estudou no Centro de Excelência Professor João Costa e fez o Pré-Universitário no polo do Glorita Portugal. Anderson conta que neste domingo se acordou cedo e bastante tranquilo. “Estou confiante, estudei o ano inteiro, tive uma boa preparação, principalmente do Pré-Universitário. No ano passado fiz o Enem como treineiro e consegui tirar uma boa nota, agora estou fazendo para conseguir a minha vaga. Participei de simulados, revisões, aulões, foi um ano intenso de estudos” afirmou.

O professor Cristiano Aragão dá aulas em oito polos do Pré-Universitário, e não perdeu a chance de ir dar um abraço de boa sorte nos alunos. “Nós sempre reforçamos aquilo que ensinamos durante o ano todo, que é a tranquilidade, as orientações passadas em sala de aula para que eles tenham tranquilidade e paciência para resolver as questões. Orientamos os estudantes a, se tiverem alguma dúvida, retomar o texto. Eles precisam entender que a prova do Enem exige compreensão. Estamos hoje aqui porque acreditamos no potencial deles”, declarou.

A ansiedade tomou conta dos pais de alunos que foram levar seus filhos aos locais de prova. No toldo da Seduc em frente à Faculdade Pio X, Maria Ivânia dos Santos aguardava a abertura dos portões com a filha, Maria Beatriz dos Santos Pereira, que estudou no Colégio Estadual Alfredo Montes, em Nossa Senhora do Socorro. “Eu estou nervosa porque é o primeiro Enem que ela vai fazer, mas estamos confiantes. Ela ainda está no segundo ano do ensino médio e fará aprova para adquirir mais experiência”, disse.

Já em frente aos portões da Unit, professores do Pré-Universitário fizeram do acolhimento uma verdadeira festa, tocando músicas e animando os candidatos. A aluna Michelly Mendonça Barreto estudou no polo Jackson de Figueiredo e sua primeira opção é o curso de Farmácia. “A gente teve uma preparação ótima ao longo do ano, então eu me sinto bastante confiante, tanto para hoje quanto para as provas do próximo domingo. Nós tivemos várias revisões, simulados e também estudamos em casa. As aulas do Pré-Universitário ajudaram bastante, mas também tivemos que fazer nossa parte, com bastante esforço. Para mim foi bem gratificante ver o quanto os professores do Pré-Uni nos prepararam”, declarou ela, que minutos antes da abertura dos portões ainda estava revisando os assuntos com os amigos.

O seu colega, Matheus dos Santos Dias, pretende fazer licenciatura em Matemática. Ele conta que essa é a segunda vez que participa do Enem. Para chegar bem na hora da prova, revisou os assuntos, almoçou antes de sair de casa e levou um lanche mais leve para o Enem. “Estou tranquilo e animado. A ansiedade é algo que só atrapalha. Então sempre recomendo aos meus colegas a ficarem tranquilos e focarem na prova da Redação, que é um ponto chave do primeiro dia do Enem. Participei de aulões, revisões, eu era o aluno que menos faltava no meu polo. Procurei ajuda dos professores várias vezes e também estudei em casa”, afirmou.

Já Emanuelly Santana Andrade também fez o Enem pela segunda vez e quer cursar Psicologia. “Estou bem nervosa. Tentei descansar para tentar ficar relaxada, mas não consegui muito. Mas a preparação que tivemos na escola pública foi muito boa e isso só prova que, quem se esforça, pode chegar no nível de qualquer aluno de escola particular. Os professores nos dão motivação para estudar e aprender”, disse.

Escolas acolhem alunos

Além do Pré-Universitário, diversas unidades de ensino da rede estadual promoveram acolhimento aos estudantes. Foi o caso do Colégio Estadual João Amaral Lemos, em Pirambu (DRE-4), Colégio Estadual Leandro Maciel, em Aracaju (DEA), Colégio Estadual João Dias Guimarães, em São Francisco (DRE-6), e outras unidades de ensino das DREs 1, 5, e 9.

Foto assessoria

Assessoria de Comunicação da SEDUC

  Editoria: