Emurb embarga obra privada que prejudicou escoamento da Euclides Figueiredo

Emurb embarga obra privada que prejudicou escoamento da Euclides Figueiredo
abril 24 10:42 2020 Imprimir Conteúdo

Mesmo com o escoamento célere ocorrido após chuvas intensas, na ordem de 50 mm, que incidiu sobre a região da avenida Euclides Figueiredo, na zona norte da cidade, alguns pontos de alagamento foram identificados na via. Por isso, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), enviou equipes ao local, na manhã desta sexta-feira, 24, para verificar as vulnerabilidades e promover readequações. O principal problema diz respeito a uma obra privada, que foi embargada pela administração municipal.

“O pior se encontra em uma obra particular, a construção de um edifício, na etapa conhecida como escavação de talude. Todo esse material da talude foi carregado pela água, obstruindo as bocas de lobo. Então, nós convocamos o proprietário da obra, exigindo que ele adote as medidas de contenção necessárias. O ideal é a construção de um muro de contenção, de alvenaria. Até que a questão seja resolvida o projeto estará paralisado”, afirma o presidente da Emurb, Sérgio Ferrari, ao explicar como se deu o embargo da obra.

Além deste local onde um condomínio está sendo construído, outros dois foram reconhecidos por contribuir, em menor grau, para que a situação ideal não fosse atingida. “Outro ponto que precisa ser corrigido está na “rua M”, no conjunto Isabel Martins, que estava quase todo pronto, inclusive com o material fresado, mas a chuva prejudicou os meio fios. Não é nada sério, não foi o grande responsável pela situação. Assim que o tempo estabilizar finalizaremos o projeto. O mesma vale para o último ponto, que fica na altura do Moema Mary. Grande parte do conjunto está asfaltada ou calçada, com exceção da rua F, que também foi responsável por uma pequena parte do material que escoou na Euclides Figueiredo”, ressalta o secretário.

Em um investimento conveniado entre a administração municipal e o Governo Federal de aproximadamente nove milhões de reais a obra na Euclides Figueiredo está equalizando um problema histórico. Ao instalar um grande sistema de drenagem, com galerias duplas, o projeto impede que as inundações de horas se repitam.

“As recentes chuvas fortes demonstraram que o dimensionamento da avenida foi muito bem feito, tanto é que ela suportou toda essa série de acontecimentos e escoou a água rapidamente. Cerca de 40 minutos depois que a chuva acabou já não havia vestígio de alagamento, muito diferente do ano passado, quando a bomba passava 6 ou 7 horas para retirar a água”, aponta Ferrari.

A obra da Euclides Figueiredo está em fase de finalização, na etapa de sinalização horizontal, arborização e readequação das calçadas; 98% do projeto já foi executado. Desta maneira, ao identificar quais são os gargalos, planejar as correções, mas também verificar o bom desempenho, a gestão garante que os problemas – que são bem menores do que ocorria em um passado recente – possam ser resolvidos de uma vez por todas.

Foto Sérgio Silva
AAN

  Editoria: