Em outubro, Sergipe registrou aumento da produção de Petróleo e Gás Natural

Em outubro, Sergipe registrou aumento da produção de Petróleo e Gás Natural
dezembro 06 14:17 2018 Imprimir Conteúdo

 

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mostrou que a produção de petróleo no estado, em outubro deste ano, superou 532,7 mil barris equivalentes de petróleo (BEP), situando-se 2,1% acima da produção do mês imediatamente anterior, setembro último.

Quando confrontado com outubro do ano passado, notou-se retração de 26,7% na produção. Com os dados de outubro, o volume de produção no estado, nos dez primeiros meses de 2018, chegou a mais de 5,8 milhões de barris (BEP), apontando queda de 20,4% em relação ao mesmo intervalo de 2017.

Extração em terra e mar

Do total produzido em outubro último, 70,6% ou aproximadamente 376 mil barris (BEP) foram extraídos em terra.  Em termos relativos, observou-se um acréscimo de 1,1%, em comparação ao mês imediatamente anterior (setembro/2018), e contração de 33% na comparação com outubro de 2017.

Por outro lado, a produção no mar, respondeu por 29,4% da produção total, atingindo 156,6 mil barris. No comparativo com o mês anterior, verificou-se avanço de 4,5%. Em relação ao mês de outubro do ano passado houve uma retração de 5,3%.

Produção de Gás

A produção de gás natural, em outubro do ano corrente, ficou acima dos 439,3 mil barris equivalentes de petróleo (BEP). Em termos relativos, houve expansão de 6,2% na comparação com o mês antecedente, setembro último. Já em relação ao mês de outubro de 2017, notou-se recuo de 4,7%.

A produção em mar permaneceu sendo a principal fonte de produção, totalizando mais de 420,5 mil barris, abarcando 95,7% do total produzido no estado, ao passo que a produção terrestre foi de aproximadamente 18,8 mil barris, representando 4,3% da produção.

NIE/FIES

  Editoria: