Eduardo Amorim apresenta propostas para o agronegócio na AEASE

Eduardo Amorim apresenta propostas para o agronegócio na AEASE
setembro 05 06:28 2018 Imprimir Conteúdo

O candidato a governador, Eduardo Amorim (PSDB), esteve na Associação de Engenheiros Agrônomos de Sergipe – AEASE, nesta segunda-feira (3), para dialogar com profissionais do setor agrícola. Através de um debate, as principais propostas para promover o desenvolvimento do agronegócio em Sergipe foram apresentadas.

Para Eduardo, a ausência de incentivos do poder público estadual e a falta de técnicos no comando da Secretaria de Agricultura (e empresas vinculadas) motivaram o declínio do segmento no Estado. “Por isso, firmo aqui um compromisso com vocês. Em meu governo, escolherei técnicos para gerir as secretarias e demais órgão e empresas estaduais, disso não abro mão. Podem ter certeza que um técnico em agropecuária é quem vai comandar a Seagri, a Emdagro e a Cohidro”, garantiu.

O candidato afirmou que o agronegócio é um dos setores mais estratégicos para a economia. Por isso, a política de seu governo para a área estará alicerçada no planejamento, assistência técnica, extensão rural, pesquisa e fomento. “Temos geografia privilegiada, é um desperdício não aproveitar o nosso potencial agrícola. Não podemos deixar de promover o desenvolvimento, de trazer avanços para Sergipe por omissão ou falta de incentivos aos produtores”, destacou.

Na avaliação de Eduardo, a política agrícola deve ser consistente e o planejamento precisa ser feito de maneira regionalizada. “Cada região possui solo, recursos hídricos e condições climáticas específicas. Precisamos levar essas peculiaridades em consideração para diversificar, potencializar a produção e fomentar as vocações regionais. Por isso, vamos elaborar a política agrícola estadual ouvindo todos os envolvidos, sejam produtores, sindicatos, técnicos, prefeitos, pesquisadores e outros”, afirmou.

Canal de Xingó

O candidato a governador ressaltou a importância em lutar pela concretização do projeto do Canal de Xingó. “Trata-se de uma obra prioritária e de grande importância para a economia sergipana. Promoverá o desenvolvimento dos municípios beneficiados diretamente com as águas do Rio São Francisco. Sem dúvidas, o principal alicerce que os municípios do sertão e semiárido sergipano precisam para promover a agricultura”, defendeu.

Reestruturar

A reestruturação da Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) e entidades relacionadas também serão contempladas. “Reestruturar a Emdagro para promover uma maior assistência ao pequeno e médio produtor rural, com a difusão de tecnologias e incremento nas cadeias produtivas de cada produto do campo. Fortalecer a Cohidro, pois os recursos hídricos são de suma importância, especialmente com as mudanças climáticas e a necessidade de preservação da água, bem como seu aproveitamento racional”, finalizou Eduardo.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: