A democracia é o pior regime

A democracia é o pior regime
maio 04 08:01 2020 Imprimir Conteúdo

Os frequentes ataques a dois dos três poderes constituídos e à imprensa têm esgarçado perigosamente o sistema democrático, numa clara ameaça de lançar o Brasil na escuridão de um tenebroso golpe. Tristemente, tem sido cada vez mais comum ouvir quem defenda uma intervenção militar, sob o argumento de que o Congresso, o Supremo Tribunal Federal e a imprensa não deixam o presidente Jair Bolsonaro governar. Na concepção dos partidários deste obtuso discurso, quem discorda do capitão de pijama é inimigo do país e, portanto, deve ser calado. À força, se preciso for. A estes cidadãos é sempre bom lembrar a enorme distância que separa a democracia da ditadura. A primeira permite se divulgar argumentos em defesa da liberdade de pensamento, ao tempo que respeita quem discorda deles. A ditadura não aceita nenhuma coisa nem outra, muito pelo contrário. Aliás, aos defensores de um golpe militar no Brasil em plena pandemia do Covid-19, vale lembrar a imortal frase do estadista britânico Winston Churchill: “A democracia é o pior dos regimes políticos, mas não há nenhum sistema melhor do que ela”. Amém!

Covid-19 se propaga

O coronavírus bateu à porta dos deputados estaduais Luciano Bispo (MDB), Zezinho Sobral (Pode) e da vice-governadora Eliane Aquino (PT). Os três se acham em quarentena em suas residências. Bispo, inclusive, está assintomático. Além de infectada, Eliane ainda tem que cuidar da irmã e da mãe, também alcançadas pelo coronavírus. As informações dão conta que diretores e servidores da Assembleia testaram positivo para o Covid-19. Em Sergipe já são 730 pessoas infectadas pela doença. Melhoras!

Prefeitos marajás

Os prefeitos que reclamam da grave crise financeira dos municípios são os mesmos que, caladinhos, embolsam salários de marajás. Boa parte destes gestores recebe mais de R$ 20 mil mensais, isso sem contar outros imorais benefícios, como a gorda verba de representação, usada ao bel prazer dos indigitados. Enquanto os prefeitos esbanjam regalias, a população que os elegeu sofre com a falta de educação, saúde, segurança, moradia, comida, etcétera e tal. Eita Brasilzão sem jeito!

Mudança de data

Tem ficado cada vez mais evidente que as eleições municipais serão adiadas de outubro para outra data. O presidente eleito do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, garante que se a pandemia do Covid-19 não abrandar até junho próximo, o adiamento se concretizará. E em isso acontecendo, caberá aos deputados federais e senadores aprovarem a mudança de data. O diabo é que boa parte dos congressistas já defende que o pleito municipal seja adiado para 2022 visando “casar” com as eleições gerais. Misericórdia!

De volta à telinha

Com o título acima, a jornalista Thaís Bezerra publicou no Jornal da Cidade a seguinte nota: “E quem está pensando em voltar à televisão é o deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC). Depois de perceber que a Justiça não o libera para trocar de partido sem o risco de perder o mandato, o parlamentar passou a analisar algumas propostas. Segundo ele, até uma emissora de TV de outro estado já o convidou para apresentar um programa policial. Gilmar avalia as propostas e se este é o momento certo para retornar à telinha. Para evitar contratempos, o deputado não confessa, nem sob tortura, os nomes das emissoras interessadas em seu passe”. Crendeuspai!

Conselho médico

Nesta época de pandemia, o presidente estadual do PSDB, ex-senador Eduardo Amorim, tem preferido falar como médico. E o doutor orienta às pessoas para que se cuidem, mantendo hábitos saudáveis e seguindo as orientações dos órgãos e profissionais de saúde. “O Covid-19 afetou as nossas vidas e colocou a maior parte da população em isolamento social. Não está sendo fácil, eu sei. Mas, tenha fé! Acredite, isso vai passar e viveremos dias melhores”. Deus te ouça!

Relações cortadas

E a vereadora Emília Corrêa (Patriota) está por aqui com o presidente da Câmara, Nitinho Vitalle (PSD). A moça passou a chamar o pessedista de ditador depois que ele cassou a sua palavra na última sessão virtual do Legislativo aracajuano. Nitinho se defende, afirmando que a Emília queria continuar debatendo um projeto já aprovado. Vitalle admite que comete erros e não tem vergonha de pedir desculpas, “mas nem todos aceitam e muitos só querem mesmo é palanque para discursar”. Vixe!

Grana pra campanha

Sugestão para os pré-candidatos que não sabem aonde conseguir dinheiro para gastar na campanha eleitoral deste ano: pegue R$ 4,50 e faça uma fezinha na Mega-Sena. A loteria está acumulada e deve pagar R$ 50 milhões a quem acertar sozinho as seis dezenas do sorteio que acontecerá amanhã (5). De uma coisa pode ficar certo: para alguns pré-candidatos que andam por aí, será mais fácil ganhar a bolada da Mega-Sena do que conseguir os votos suficientes para se elegerem. Marminino!

E ele falou!

Pouco afeito a discursos, o deputado estadual Vanderbal Marinho (PSC) usou a tribuna da Assembleia para defender o isolamento social nesta época de Covid-19. Segundo ele, a medida é necessária por questões sanitárias. Médico pneumologista, o parlamentar ressaltou que o vírus é agressivo, “e traz casos graves, severos, traumáticos, avassaladores, e vem causando muitos óbitos. O coronavírus é letal e perigoso”, alertou. Credo em cruz!

Políticos copa do mundo

Sumidos desde a última campanha eleitoral, muitos espertalhões já começaram a botar a cara de fora, com os olhos grandes nas eleições deste ano. São os chamados políticos copa do mundo. Eles só aparecem de quatro em quatro anos para conquistar os votos das pessoas despolitizadas. Pior é que, enquanto o eleitor continuar acreditando em falsas promessas, vendendo o voto ou trocando por mercadorias, estes mequetrefes sobreviverão politicamente. Homem, vôte!

Recorte de jornal

Publicado no jornal Folha de Sergipe, em 16 de agosto de 1908.

  Editoria: