Cão sem dono

março 15 06:55 2018 Imprimir Conteúdo

Alguém sabe quantos condenados com graves problemas de saúde permanecem enclausurados nas desumanas penitenciárias brasileiras? Talvez nem a Justiça possua esta informação, até porque sentenciado neste país deixa de ser visto como ser humano, é tratado pior do que cão sem dono. A própria sociedade acha que preso não merece clemência, não precisa de socorro médico, pois “bandido bom é bandido morto”.  Esse tenebroso quadro pode a mudar se os magistrados concederem, cada vez mais, prisões domiciliares a detentos doentes e de bom comportamento, a exemplo do que vem ocorrendo com os presos da Operação Lava Jato. Caso contrário, a Justiça reforçará a máxima de que no Brasil só vai e permanece abandonado na cadeia preto, pobre e prostituta.

JB de aviso prévio

Não espere muito mais do governo Jackson Barreto, pois seu prazo de validade está no fim. Fosse trabalhador da iniciativa privada, JB estaria cumprindo o famoso aviso prévio, com data de conclusão em 5 de abril. Portanto, daqui a 22 dias, ele e os auxiliares que pretendem disputar as eleições de outubro terão que se desincompatibilizar. A partir de então, o vice Belivaldo Chagas (MDB) assume em definitivo a chefia do Executivo para um mandato tampão de apenas nove meses. Há quem diga que será uma gestação das mais difíceis. Aff Maria!

Dois sentidos

Não será fácil a campanha eleitoral de José Carlos Machado (PSDB), pré-candidato a deputado federal. Ao tempo em que disputará votos, o tucano e ex-vice-prefeito terá que se defender da acusação de ter acobertado na Prefeitura de Aracaju um escandaloso time de servidores fantasmas. Seguramente, os adversários de Machadão vão usar este rumoroso fato para desacreditá-lo perante o eleitorado. Misericórdia!

Banco dos réus

Caso não mude a pauta novamente, o Tribunal Superior Eleitoral julgará hoje recursos dos deputados estaduais Gustinho Ribeiro (PRP), Jeferson Andrade (PSD), Garibalde Mendonça (MDB), Capitão Samuel (PSL) e da conselheira do Tribunal de Contas, Suzana Azevedo. Todos tentam anular as condenações por mau uso de recursos públicos. Na próxima terça, devem ser julgados pelo mesmo motivo os deputados estaduais Augusto Bezerra (PHS), Zezinho Guimarães (MDB) e o federal Adelson Barreto (PR).

Maria fumaça

Ninguém pode negar que o ex-prefeito João Alves Filho (DEM) é um aficionado por transporte público. O demista não conseguiu implantar em Aracaju o prometido Bus Rapid Transit (BRT), mas instalou na Prefeitura um vergonhoso trem fantasmas para aboletar centenas apadrinhados dele e dos aliados políticos. Crendeuspai!

Marcação serrada

E o Ministério Público de Sergipe não larga o pé do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB). Em denúncia formulada à Justiça, o MPE acusa o comunista de nepotismo por ele ter nomeado as caras metades dos auxiliares Jefferson Passos, e Mônica Passos. Acusado anteriormente pelo mesmo motivo, o ex-secretário da Saúde, André Sotero, foi retirado da denúncia após provar não ter sido responsável pela nomeação de Mônica Passos.

Férias forçadas

O promotor de Justiça Toinho Vila Nova vai passar 45 dias afastado das atividades. As férias forçadas valem como castigo porque ele tornou público documentos fiscais de um acusado. A punição ao promotor de Lagarto foi aplicada pelo Conselho Nacional do Ministério Público.

Martelo batido

A pré-candidatura de Valadares Filho (PSB) ao governo de Sergipe são favas contadas. Pelo menos para o pai do jovem político, senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Segundo Vavá, o projeto dos pessebistas é implementar “um governo com base num programa coletivo visando recuperar o estado em todos os setores”. Então, tá!

Vida de gado

Começa hoje a Feira 6ª Agropecuária do Estado de Sergipe. Organizado no Parque de Exposições João Cleophas, em Aracaju, o evento reúne mais de 50 expositores nos setores de agropecuária, indústria, comércio, gastronomia, máquinas e equipamentos. Com entrada gratuita, a exposição vai prosseguir até domingo. Prestigie!

Recorte de jornal

Publicado no jornal Diário de Sergipe, em 3 de junho de 1958.

Resumo dos Jornais

  Editoria: