Câmara de Lagarto forma Comissão para analisar notificação do MP sobre a prefeita Hilda Ribeiro

Câmara de Lagarto forma Comissão para analisar notificação do MP sobre a prefeita Hilda Ribeiro
maio 14 08:26 2020 Imprimir Conteúdo

Na 13ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Lagarto, foram discutidas indicações dos parlamentares, além de problemas observados por eles na cidade. Entretanto, o momento mais importante foi a criação da Comissão Parlamentar que analisará a notificação do Ministério Público sobre supostas pedaladas fiscais feitas pela prefeita Hilda Ribeiro.

Formada através de sorteio, a comissão ficou composta pelos seguintes nomes: Creusa do Oiteiro como presidente, Clayton Moore como relator, e completada pelo vereador Zé do Perfume. Os vereadores Gilberto da Farinha e JC ficaram como suplentes da comissão.

Já no desenrolar do Pequeno Expediente, o vereador Josivaldo dos Brinquedos destacou em sua fala a importância de reforçar os cuidados de higiene no Mercado Municipal diante da pandemia do novo coronavírus.

“Se coloca uma equipe na frente do Mercado mas nas laterais não tem ninguém. Isso é por um período, não é o dia todo. Depois que a turma registra, tira suas fotos, some. Tem que ser colocada uma tenda, que sirva como uma barreira de contenção, ou algo assim, para que as pessoas se higienizem”, registrou Josivaldo.

Antes da continuidade da sessão, um desentendimento entre o vereador Clayton Moore e a o presidente da Casa Legislativa, Eduardo de João Maratá, exaltou os ânimos na Câmara. Por não ter entregado a tempo um de seus requerimentos, e, consequentemente, não vê-lo lido, o vereador tentou usar seu tempo no Pequeno Expediente para criticar o fato. No entanto, o presidente interferiu na questão, já que, diante do que foi pré-definido, o espaço nesse momento é para falar sobre as indicações de cada parlamentar.

Quem falou em seguida foi o vereador Zé do Perfume, que deu enfoque às condições dos moradores do povoado Olhos D’Água. “Eles vêm sofrendo há muito tempo com a falta de água, vêm clamando à prefeita Hilda a resolução do problema mas não resolveram. Espero que tenham um pouquinho de sensibilidade porque com sede ninguém vive”, afirmou.

Já a vereadora Marta da Dengue iniciou sua fala ressaltando a liberação do calçamento da Fazenda Grande e de algumas ruas do povoado Brejo. Além disso, Marta continuou sua fala reforçando o discurso do vereador Zé do Perfume. “Pedi ao secretário para tomar providências sobre a questão do povoado Olhos D’Água porque a gente vê a necessidade das pessoas”, disse.

O assunto em sequência também foi sobre o calçamento de algumas localidades. Quem se expressou nesse momento foi a vereadora Creusa do Oiteiro. “Vimos a liberação do solo no povoado Fazenda de Cima, Recanto, Pururuca, enfim. Tudo vai ser liberado, se Deus quiser”, declarou.

A fala em seguida foi para o vereador JC, que, de ínicio, constatou a ironia presente no nome do povoado Olhos D’Água, que sofre justamente com a falta dela. Depois, citou a questão do povoado Várzea dos Cágados, onde a população também está sem água.

Outro ponto citado foi o momento difícil vivido pelo povoado Jenipapo. De acordo com o vereador Gilberto da Farinha, o local está há 3 anos sem a estrutura do Mercado, tendo as feiras sendo realizadas ao lado. “Nesse período chuvoso é lamentável ver as pessoas tentando comprar e se molhando, além das pessoas que vendem também, numa situação tão difícil”. Outra questão tocada pelo parlamentar foi a superlotação no cemitério da localidade. Segundo Gilberto, um morador teve de andar 40 minutos dentro do ambiente buscando um lugar para sepultar um ente querido.

Por fim, as indicações do dia foram lidas pela mesa diretora e aprovadas pelos parlamentares.

POR ASCOM

  Editoria: