Banese vai prorrogar empréstimos consignados de servidores aposentados

Banese vai prorrogar empréstimos consignados de servidores aposentados
abril 15 12:32 2020 Imprimir Conteúdo

A instituição financeira está na fase final de ajustes dos sistemas que farão a prorrogação dos contratos dos servidores públicos ativos e inativos, o que deve acontecer até o final de abril

Para atenuar as dificuldades enfrentadas pelos servidores aposentados em razão da crise provocada pelo coronavírus (covid-19), o Banco do Estado de Sergipe (Banese) anunciou, nesta quarta-feira (15), a decisão de também prorrogar operações de crédito consignado feitas por aposentados. A medida, cujos detalhes serão informados nos próximos dias, valerá para três parcelas de empréstimos consignados.

A instituição financeira está na fase final de ajustes dos sistemas que farão a prorrogação dos contratos dos servidores públicos ativos e inativos, o que deve acontecer até o final de abril. Desde o início da pandemia do covid-19, o Banese tem buscado ações efetivas e de cooperação que ofereçam soluções e condições para todos os clientes.

“Temos procurado atender aos pleitos que recebemos sempre com atenção e responsabilidade, ajudando a amenizar os efeitos sociais da pandemia e as dificuldades decorrentes”, diz Maraiza Cruz Sá, superintendente de Crédito Comercial.

Outras medidas

Uma das primeiras medidas adotadas pelo Banese foi a prorrogação do pagamento de dívidas de profissionais liberais, além de micro e pequenas empresas, por 60 dias, para empréstimos com pagamentos em dia. Outra solução apresentada foi a linha de crédito emergencial para capital de giro e adequação de fluxo de caixa das empresas, com prestações fixas e mensais e prazo de pagamento em até 36 meses e carência de até nove meses.

Foram também lançadas quatro linhas de crédito que podem chegar até o valor de 500 milhões de reais. O público-alvo inclui pessoa jurídica, profissional liberal e microempresas e empresas de pequeno porte pertencentes aos setores industrial, comercial e de serviços, além de pessoas físicas, inclusive as que atuam no setor informal da economia.

O banco segue atento ao cenário atual e vem buscando soluções para o enfrentamento dos efeitos econômicos gerados com a pandemia.

  Editoria: