Vereadores recuam e 2.600 servidores de Aracaju ficarão sem 5%

junho 01 15:54 2022

O reajuste linear de 5% anunciado pelo prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira não foi para todos. A exclusão de cerca de 2.600 servidores públicos e aposentados da Prefeitura de Aracaju do índice de recomposição salarial gerou mais um protesto em frente à Câmara de Vereadores de Aracaju na manhã da terça-feira, dia 31 de maio, construído pelo SINDASSE (Assistentes Sociais), SINTS (Educadores Sociais), SEPUMA (Servidores) e SINPSI (Psicólogos).

A exclusão dos servidores já estava prevista no Projeto de Lei 101/2022 enviado à Câmara de Vereadores. Graças à emenda Nº 3, proposta pelo vereador Isac (PDT) e aprovada pela maioria dos vereadores, os servidores passariam a ter direito aos 5%. No entanto, o prefeito decidiu vetar a emenda e manter os servidores sem reajuste.

Na terça, dia 31, os vereadores tinham o poder de derrubar o veto do prefeito de Aracaju, no entanto apenas votaram a favor dos trabalhadores do SUAS as vereadoras Ângela Melo (PT), Linda Brasil (PSOL), Emília Correia (Patriota),  Sheyla Galba (Cidadania) e os vereadores Isac (PDT), Ricardo Vasconcelos (Rede), Ricardo Marques (Cidadania), Cícero do Santa Maria (Podemos), Sargento Byron (Republicanos) e Breno Garibalde (União Brasil).

O coordenador geral do SINDASSE, Ygor Machado, explicou que a lei 4.769/2016 que institui a revisão da tabela salarial da administração geral nunca foi cumprida pelo prefeito Edvaldo Nogueira, portanto, os trabalhadores ingressaram na Justiça para reivindicar o cumprimento da lei. Todos que ganharam na Justiça a remuneração referente à tabela salarial foram excluídos do índice de 5%.

“Não existe nenhum respaldo legal para que o prefeito Edvaldo Nogueira decida não cumprir a lei 4.769, por isso ingressamos na Justiça para cobrar um direito que é nosso. Agora não tem respaldo legal para que estes trabalhadores fiquem excluídos do reajuste de 5%. Foram 6 anos de arrocho salarial. Estamos sobrevivendo a uma inflação de dois dígitos. A população perdeu completamente o poder de compra. Esperávamos mais sensibilidade dos vereadores de Aracaju. Iremos denunciar todos que votaram contra os servidores de Aracaju”, criticou Ygor Machado.

As lideranças sindicais declararam que vão denunciar à população o nome de todos os vereadores que votaram contra os trabalhadores. “Cada vez mais vemos a desesperança com os políticos. É acordo para todo lado e todo mundo só visa o bem próprio. Temos que mostrar a nossa força enquanto trabalhadores contra essa destruição de direitos por parte de Edvaldo”, criticou o presidente do SINPSI Edmundo Freire.

Os vereadores que votaram contra o reajuste para todos os servidores de Aracaju foram:

Anderson de Tuca (PDT), Eduardo Lima (Republicanos), Fábio Meireles (PSC), Paquito de Todos (Solidariedade), professor Bittencourt (PDT) e Soneca (PSD).

Foto assessoria

Por Iracema Corso

  Editoria: