Vereadora defende que PMA crie renda básica municipal e garanta vacina para a população

janeiro 12 08:52 2021 Imprimir Conteúdo

 

Demonstrando preocupação com o cenário da pandemia de covid-19 em Aracaju e visando a garantia dos direitos da população da cidade, a vereadora Professora Ângela Melo, do Partido dos Trabalhadores, protocolou, na tarde dessa segunda-feira (11), duas Indicações ao Poder Executivo Municipal.

A primeira propositura é para que o Prefeito Edvaldo Nogueira e a Secretária de Saúde, Waneska Barboza, “desenvolvam ações urgentes no sentido de aquisição de vacinas da COVID-19, em caráter emergencial, com o objetivo de promover a imunização de todas as aracajuanas e aracajuanos”.

Já a segunda Indicação, direcionada ao Prefeito e ao Secretário de Finanças, Jeferson Passos, propõe que “sejam desenvolvidas ações urgentes no sentido de enviar à Câmara de Aracaju um Projeto de Lei criando a Renda Básica Municipal”.

No entendimento da parlamentar petista, gestores estaduais e municipais devem, além de repudiar a negligência do Governo Federal, adotar medidas concretas em defesa da vida. “Nosso país acumula crescentes casos de contaminação e mortes. Já foram mais de 200 mil vidas perdidas. Aqui em Aracaju, os dados mostram também um aumento da incidência do coronavírus. Por isso, não é hora de esperar por um governo que não tem compromisso com a vida. O momento é de agir!”, frisou.

O alerta da vereadora, vale ressaltar, se sustenta nos dados oficiais. Conforme boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, Aracaju já registra 61.395 contaminações e 920 mortes pela doença. Há dois meses, em 10 de novembro, os óbitos por covid-19 na cidade totalizavam 819 (ou seja, mais de 100 mortes em dois meses), o que escancara a persistência do quadro grave da pandemia.

Frente a esse cenário, para Professora Ângela Melo é fundamental um conjunto de ações articuladas, começando pela vacinação e pela Renda Básica Municipal, a exemplo do que tem sido feito em outros locais.

A respeito da vacina, a vereadora cita que cidades como Salvador e São Paulo estão em processos mais avançados e que é preciso Aracaju também apresentar seus planos. “Qual o cronograma de imunização pensado pela Prefeitura? Quais as fases? Quais serão os públicos prioritários? A população reivindica todas essas questões”, enfatiza.

Sobre a Renda Básica Municipal, Professora Ângela Melo lembra que em Belém, nos primeiros dias de sua gestão, o prefeito Edmilson Rodrigues anunciou a criação de um programa que garante renda mínima de até R$ 450 como complementação outros programas, como o Bolsa Família. “Se em Belém é possível, por que o prefeito Edvaldo não garante proposta parecida para as famílias em situação de vulnerabilidade de Aracaju?”, questiona.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Vereadora Professora Ângela Melo (PT/Aracaju)

  Editoria: