Vereador Dr. Manuel Marcos defende o incentivo à formação política

dezembro 04 06:24 2019 Imprimir Conteúdo

O vereador Dr. Manuel Marcos (PSDB) reconhece a função social da Escola do Legislativo Municipal. A aclamação ocorreu em Plenário, na Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) desta terça-feira, 3. “Nas pessoas dos professores Marcos Wander, Maria Agda e da secretária Irlen Suellen parabenizo todos os envolvidos na evolução e fortalecimento desse espaço político-educativo”, prestigia.

No entendimento do parlamentar, a referida escola colabora com a consciência política e o senso de cidadania entre os jovens recebidos pelo colégio. “Sou apaixonado pela educação e quando surge um espaço que ajuda na formação política, eu quero abraçar a causa. Eu sei o quanto é importante para o cidadão. Nós vivemos em um país em que boa parte da população sequer lembra em quem votou. Ou seja, não estabelece critérios para escolher seus representantes”, avalia.

Segundo Dr. Manuel Marcos, ele construiu a consciência política através dos ensinamentos e valores transmitidos pelo pai. “Eu tive uma orientação de berço. A primeira vez que chegou em minha porta um candidato a prefeito de Santo Amaro – que ofereceu benesses ao meu pai – ele foi expulso na frente de toda família por considerar aquele ato desrespeitoso. E eu aprendi com esse perfil do meu pai, pois, nunca se permitiu vender um voto para apoiar político”, relata.

Diante do exposto, a vereadora Emília Corrêa (Patriota) endossa a necessidade em fortalecer espaços educativos e promovam a consciência político-social. “Tudo gira em torno da escolha que é o voto. Se as pessoas bem soubessem pensariam mais. Se escolher mal, consequentemente, estará escolhendo mal para saúde, educação, segurança e está colando não só a si como a toda família e comunidade envolvidos em uma péssima escolha”, declara.

“Então, precisamos alertar o aracajuano e pedir para não acreditar no que propagam que todos os políticos são maus. Na verdade, é uma questão de fazer melhores escolhas e não vender seu voto em troca de benesse individual”, afirma a parlamentar.

Em soma, Bigode do Santa Maria (MDB) diz que “o indivíduo político que tenta comprar a dignidade do cidadão é um criminoso. E o eleitor que vende seu voto também é. Tem que votar em quem trabalha incansavelmente pela comunidade. Há muitos aí que, pela crise econômica, já estão se aproveitando para dar consolo e tentar comprar a decência do munícipe”.

Foto César de Oliveira

Por Lucivânia Pereira

  Editoria: