Tribuna Livre na Câmara Municipal trata sobre sintomas da fibromialgia

Tribuna Livre na Câmara Municipal trata sobre sintomas da fibromialgia
maio 07 15:41 2019 Imprimir Conteúdo

por Viviane Cavalcante

A Tribuna Libre desta terça-feira, 7, trouxe um grupo de mulheres diagnosticadas com fibromialgia para falar sobre esta doença. Representando esse grupo, a enfermeira Charlene Almeida subiu a Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) para dar seu depoimento do que sente e quando descobriu a doença.

“Tenho 36 anos e sou esposa, mãe, enfermeira, afastada das minhas atividades há dois anos quando fui diagnosticada com fibromialgia”, ressaltou explicando que essa é uma doença que traz dor no corpo inteiro, é incapacitante e invisível para a maioria da população.

Charlene explicou ainda que a fibromialgia é uma síndrome na qual a pessoa sente dores por todo o corpo durante longos períodos, com sensibilidade nas articulações, nos músculos, tendões e em outros tecidos moles. Junto com a dor, a fibromialgia também causa fadiga, distúrbios do sono, dores de cabeça, depressão e ansiedade. “E estamos aqui hoje para chamar a atenção que tudo isso acontece num corpo aparentemente saudável, ninguém percebe que estamos com dores fortes”, completou.

Além disso, Charlene disse aos parlamentares que o vereador Elber Batalha Filho (PSB) já protocolou na Casa Projetos de Lei (PLs) que visa o atendimento preferencial de pessoas diagnosticadas com fibromialgia em filas de supermercados, lojas e afins. E também de outra propositura que prevê a criação do Dia Municipal da Fibromialgia para divulgar sintomas, formas de tratamento e apoio em dias de crise de dor intensa. “Eu acredito na sensibilidade de Vossas Excelências na aprovação desses projetos. Aproveito para agradecer a oportunidade de estar aqui e falar sobre fibromialgia”, concluiu.

Vereadores-

Após as considerações de Charlene, os vereadores presentes se posicionaram a favor das proposituras e se colocaram a disposição para ajudar no que for preciso. O vereador Américo de Deus (Rede)  disse que tem certeza que os vereadores irão apoiar essa causa. “A dor de vocês é imperceptível, só vocês sabem que estão sentindo e precisam de reconhecimento da população além de mais políticas públicas”, afirmou.

Envolvido nessa causa, Elber Batalha Filho (PSB) ressaltou que a ideia dos PLs é dar voz e vez a uma causa que ainda tem muito preconceito. Além disso, com a aprovação das proposituras é provocar uma conscientização das pessoas, pois afeta muita gente e que ficam no silêncio.

Falando como médico, o vereador Dr. Gonzaga (MDB) disse que atendeu recentemente uma paciente com esses sintomas e que uma alternativa seria o tratamento ortomolecular que, apesar de não trazer cura da doença, ameniza seus sintomas. “Podem ter certeza que nós vereadores iremos apoiar esses projetos”, pontuou.

Já a vereadora Emília Corrêa (Patriota) disse que tem uma amiga diagnosticada com a doença e desde então ficou sensibilizada com a causa. “Fiquei impressionada porque qualquer um de nós pode ter a doença crônica. Podem contar comigo em todos os sentidos”, finalizou.

Os vereadores Jason Neto (PDT) e Anderson de Tuca (PRTB) parabenizaram Elber pela apresentação do projeto.  “Tenho uma pessoa da minha família que sofre com essa doença e realmente não é fácil. Esse é um assunto sério e que merece atenção”, disse Jason. Anderson de Tuca afirmou que os PLs serão um benefício que não vai melhorar a vida dos pacientes, mas, irá amenizar o sofrimento.  “Muitas vezes a pessoas nem sabe que tem a doença. Precisa-se melhorar a divulgação, quais são as formas de tratamento. Imagino o quanto vocês não sofrem muitas vezes pela falta de dignostico certo, tratamento adequado e falta de informação”, concluiu.

Foto Gilton Rosas

  Editoria: