TRE-SE alcança 1º lugar no Ranking nacional da Transparência no Poder Judiciário – CNJ

TRE-SE alcança 1º lugar no Ranking nacional da Transparência no Poder Judiciário – CNJ
agosto 13 14:54 2020 Imprimir Conteúdo

Na noite desta quarta-feira (12), foi divulgado o resultado da 3ª edição do Ranking da Transparência no Poder Judiciário. Entre todos os tribunais do Brasil, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE) alcançou o 1º Lugar em 2020. Depois da análise referente a todas as informações relacionadas, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe chegou à pontuação de98,56%.

Ao tomar conhecimento da conquista, o diretor-geral, Rubens Lisboa assim se pronunciou: “Estamos realmente de parabéns! Esse prêmio é fruto do esforço de todos os que compõem o TRE-SE. Conforme assevera o nosso presidente, Des. José dos Anjos, o TRE-SE vem cumprindo sua missão com louvor. Estamos no caminho certo, prestando serviços de excelente qualidade à sociedade. O reconhecimento é, portanto, mais que merecido.”

O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, convidou o presidente do TRE-SE a participar da Solenidade de Premiação, a qual acontecerá no dia 18 de agosto de 2020, terça-feira, às 14 horas, por videoconferência, sob a coordenação do Departamento de Gestão Estratégica do CNJ.

Os critérios de avaliação e pontuação utilizados na terceira edição do Ranking da Transparência do Poder Judiciário foram publicados pelo CNJ em abril deste ano. Criado em 2018, o Ranking tem como objetivo destacar os tribunais e conselhos que se dispõem com afinco a informar à sociedade as atividades que executam.

Através  da Portaria CNJ 67/2020, foram relacionados  nove temas compostos por 85 perguntas, as quais foram respondidas pelos 90 tribunais, além do Conselho da Justiça Federal (CJF), do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e do próprio CNJ. Entre os itens avaliados, ressaltam-se os objetivos estratégicos, metas e indicadores; os levantamentos estatísticos sobre a atuação organizacional; o calendário das sessões colegiadas; as  atas das  sessões plenárias; o campo denominado ‘Serviço de Informações ao Cidadão’; informações sobre licitações e contratos, etc. A análise é feita por diversas Unidades do CNJ que averiguam com detalhes o cumprimento dos itens relativos aos temas.

Além de relacionar os órgãos do Judiciário de acordo com a performance em termos de acesso e clareza das informações prestadas à sociedade, o Ranking da Transparência é também parâmetro do Prêmio CNJ de Qualidade, que visa a incentivar os tribunais a efetuar melhorias em gestão, planejamento, produtividade e organização administrativa e judiciária com foco na prestação de serviços judiciais.

Fonte TRE-SE

 

  Editoria: