Suely Barreto, um incômodo real, escreve o empresário William Rocha

outubro 01 05:38 2019 Imprimir Conteúdo

Ganha crescimento nos bastidores da articulação política de Estância o nome da militante social Suely Barreto. Com uma competência e um carisma incontestes, a jovem de 40 anos que há 23 participa dos bastidores da política, cresceu absurdamente após o seu trabalho social de prevenção às drogas executado há mais de uma década e conhecido estadualmente, bem como pela sua luta diária por protagonismo feminino e atuação na formulação, controle e fiscalização social.

Acometida por um sério Acidente Vascular Cerebral – AVC – no início de 2018, causado, segundo ela, por acúmulo de estresse em decorrência de perseguição política, Suely Barreto pensou em desistir da política partidária à pedido da família e se dedicar exclusivamente ao seu trabalho social, parado parcialmente desde o infortúnio e que ela enxerga como uma missão de vida determinada por Deus.

No entanto, para a sua surpresa, fora do ambiente hospitalar haviam centenas de pessoas expressando o seu carinho através de mensagens e orações e pedindo o seu retorno ao trabalho de defesa das classes menos favorecidas.

Em maio de 2019, após o seu pedido pessoal e voluntário de exoneração do cargo exercido na gestão municipal, Suely Barreto foi convidada pelo senador Alessandro Vieira, para compor a sua equipe de assessoria parlamentar. Desde então, ela tem se dedicado brilhantemente ao exercício da nova função, bem como retomado aos poucos à execução dos seus trabalhos sociais e palestras educativas.

Filha do PPS, hoje Cidadania, como se auto intitula em entrevistas, Suely Barreto é presidente do Diretório Municipal, membro da Executiva Estadual e membro do Diretório Nacional desse partido. Um grande reconhecimento aos anos de dedicação, construção e lealdade aos princípios e decisões do seu partido, presidido estadualmente pelo senador Alessandro Vieira e nacionalmente pelo ex-deputado federal Roberto Freire, seu amigo e ídolo político.

Num processo normal de crescimento, hoje fortalecido pelo exemplo da política limpa e transparente que resultou na vitória de representantes do seu partido, a exemplo do próprio senador da República, a possível pré- candidatura ainda não declarada ou confirmada pela militante social é um incômodo real, principalmente para os “caciques” representantes da velha e desgastada política estanciana que conhecem o seu potencial, o seu trabalho e a sua força e coragem política.

É impossível não afirmar que Suely Barreto, assim como todos os novos atores sociais com serviços prestados, ocupam um lugar no favoritismo do processo político atual, pelo expresso desejo de mudança e renovação da população e incentivo dos próprios representantes do seu partido, a exemplo do senador Alessandro Vieira.

Decidida a dar uma guinada radical na sua carreira e vendo o espaço aberto para o seu crescimento político, Suely Barreto tem sido incentivada pelo seu grupamento a aceitar o desafio e se colocar à disposição de uma pré-candidatura consistente e eleitoralmente democrática e renovada, perfil no qual ela se encaixa perfeitamente.

Suely Barreto tem todos os requisitos e qualificações para pretender entrar na disputa. É pessoalmente preparada, politicamente correta e sua carreira profissional é saudável e eficiente. É estudiosa, dedica-se a temas espinhosos, como tratamento, prevenção e combate às drogas; defesa da infância, juventude e fortalecimento familiar; direito dos idosos, das mulheres e atenção à população carente.

Esses são temas dos quais a maioria dos políticos foge, exatamente por serem politicamente ásperos, complexos e eleitoralmente estéreis. Suely fala sempre com propriedade sobre esses temas, o que confere credibilidade aos seus discursos e acentua a amplitude da sua atuação político-social indiscutivelmente bem avaliada, ainda que distante dos holofotes.

Em decorrência dessa trajetória respeitável, e de todos os problemas pessoais que viveu por defender uma política nova, enxergamos no cenário atual um campo fértil para plantar o projeto de pré-candidatura, acreditando que ela tem condições de encarar os concorrentes já postos e dobrá-los nas urnas, mesmo sabemos que por trás de cada aspirante existe um forte esquema político e eleitoral sendo articulado, e que já se desenha a guerra entre os poderosos ditadores e detentores de poder contra o movimento coletivo de pessoas dispostas a promoverem a renovação da política estanciana/sergipana.

Esperamos o sim, e que se ela entrar, de fato, com os pés no chão nessa guerra, elegendo um discurso de renovação e encarnando os ideais da nova geração que representa na política de Sergipe, Suely Barreto reunirá todas as condições para se colocar entre os que de fato têm chance de chegar lá.

Temos consciência de que o jogo é bruto e que ela dificilmente terá sua candidatura abraçada pelos mandatários locais. Mas, com a vantagem de ser mulher e propor uma candidatura sem amarras, poderá ser o mote que precisamos para atrair os eleitores indecisos e desacreditados.

Por William Rocha – Administrador de empresas, empresário da área comercial, representante comercial e habitante de Estância.

  Editoria: