Setur participa de reunião para elaboração da Minuta de Lei da Política Estadual do Gerenciamento Costeiro de Sergipe

Setur participa de reunião para elaboração da Minuta de Lei da Política Estadual do Gerenciamento Costeiro de Sergipe
outubro 19 08:35 2018 Imprimir Conteúdo

Mais um passo importante está sendo dado na transformação do menor estado da federação e em um dos maiores receptores de turistas do Brasil: Sergipe. Nesta quinta-feira, 18, a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) e o Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), participaram da reunião extraordinária de Elaboração do Plano e da Minuta do Projeto de Lei para a Política de Gerenciamento Costeiro do Estado de Sergipe (GERCO/SE).

O encontro aconteceu no anfiteatro da Universidade Tiradentes (Unit), e visou a participação de 18 municípios da zona costeira, de órgãos governamentais, instituições de ensino e a sociedade civil. Um dos pontos da reunião foi o resultado do Produto 3, que define o início dos trabalhos para a construção do Zoneamento Ecológico Econômico Costeiro (ZEE Costeiro), e que pretende realizar o mapeamento de suas características ambientais, sociais e econômicas, contribuindo para o uso adequado destes ambientes e colaborando para as fiscalizações, licenciamentos e a gestão do estado.

A representante da Hidria Ciência Ambiente e Desenvolvimento, Patrícia Casal Rodríguez, relatou sobre as fases dos estudos até a finalização do Projeto de Lei. “Estamos na fase de coleta de dados, pegando informações de vários órgãos e das prefeituras envolvidas para efetuar o cruzamento de informações até a finalização do zoneamento de Sergipe, pois a partir disto é que poderemos planejar as ações futuras”, comentou a bióloga espanhola e responsável pelo estudo.

A engenheira ambiental do Prodetur, Thassia Luiza Santana Costa, descreveu detalhadamente como ocorre essa coleta. “Esta etapa denominada de Produto 3, apresenta o levantamento dos   mapeamentos de informações distintas das inúmeras atividades e características ambientais nas zonas costeiras, através do zoneamento ecológico e econômico que é uma diretriz do Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro. Todo este contexto é viabilizado por meio dos órgãos estaduais e municipais que possuem muitas informações e dados, que fortalecem este trabalho”, finalizou.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: