Setransp e SSP anunciam queda de 82% nos assaltos a ônibus, após três anos

Setransp e SSP anunciam queda de 82% nos assaltos a ônibus, após três anos
dezembro 23 12:24 2019 Imprimir Conteúdo

Com altos índices em 2016, estratégias integradas provocaram a queda desse tipo de crime

Em julho de 2016, a morte do cobrador de ônibus David Jonathan Barbosa, de 26 anos, chocou a categoria dos rodoviários e atingiu em cheio as estratégias usadas na época para diminuir os casos de violência dentro dos ônibus, terminais e locais onde este crime mais acontecia. David foi atingido por disparos de arma de fogo durante assalto a um ônibus coletivo da linha 080 – Bugio / Atalaia. No entanto, com a revisão das estratégias de policiamento e investigações mais detalhadas e envolvendo várias unidades, após três anos, os casos de roubos a ônibus caíram em 82,99%.

Os dados foram divulgados pelo presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setransp), “A redução dos assaltos é uma necessidade porque estamos preocupados com a qualidade para o nosso cliente no ônibus. E o bem-estar, o sentimento segurança é essencial para que ele tenha uma viagem tranquila”, explica o diretor do Setransp Alberto Almeida, em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (23), na Sala de Imprensa da Secretaria da Segurança Pública.

De acordo com as estatísticas, foram registradas 1.628 ocorrências em 2016, contra os 991 casos em 2017, e 508 em 2018, caindo expressivamente para 277 de janeiro a novembro de 2019. Nesse mesmo mês, foram notificados 22 assaltos considerando os 116 no mesmo período em 2016. De acordo com as informações, esse é o resultado de um trabalho integrado entre a Setransp e as forças da SSP. “A Setransp tem contribuído ao longo dos anos com o fornecimento de informações sobre os assaltos, de forma eficiente, tanto para Polícia Militar tanto como para Polícia Civil diária que está investigando”, conta a delegada Nalile Bispo, coordenadora operacional das delegacias da capital.

Para reduzir ainda mais os índices, as forças de Segurança Pública reforçaram as estratégias de repressão ao crime por meio de patrulhamento ostensivo nos terminais de integração, abordagens dentro dos veículos e acompanhamento intensivo das imagens das câmeras de monitoramento dos ônibus. A tecnologia e a rapidez no fornecimento desses vídeos pelas empresas operadoras do transporte coletivo também são fundamentais para reforçar a segurança nos ônibus. “É um trabalho integrado e esse trabalho faz o infrator pensar duas três vezes antes de agir dentro do ônibus. Também temos feito apreensões de adolescentes até do próprio passageiro que tem suspeita que eles vão agir naquele ônibus, liga 190 e esse ônibus é abordado no meio do trajeto”, conclui o coronel José Moura Neto, comandante do policiamento militar da capital.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: