SES capacita municípios para nova plataforma de gestão do Bolsa Família

SES capacita municípios para  nova plataforma de gestão do Bolsa Família
setembro 27 14:25 2018 Imprimir Conteúdo

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) realiza durante toda esta quinta-feira, 27, uma oficina com os coordenadores da Atenção Básica dos 75 municípios sergipanos sobre o novo sistema de gestão do Programa Bolsa Família e, para isso, conta com o apoio do Ministério da Saúde (MS), que disponibilizou a facilitadora Fernanda Moratori para ministrar a capacitação. O objetivo é o de orientar os municípios em relação à utilização do novo sistema e suas funcionalidades.

De acordo com informações do responsável pela Coordenação Estadual do Bolsa Família na área da saúde, Ronaldo Cruz, o programa está migrando do sistema Datasus para o Egestor AB, uma nova plataforma que traz algumas funcionalidades novas citando como exemplo o acompanhamento das condicionalidades que passa a ser por pessoa e não mais por família. A novidade impactou positivamente nos processos de trabalho dos municípios e, segundo a coordenadora do Bolsa Família da Secretaria de Saúde de Aracaju, Sandaia Belfort, o novo sistema facilita o acompanhamento das condicionalidades.

“No sistema anterior, o trabalho era feito por família e nem sempre era possível acompanhar todos os seus membros. Agora, será mais fácil porque ao invés de trabalharmos com 24 mil famílias, iremos acompanhar 49.058 pessoas que estão no perfil obrigatório, que são crianças de zero a sete anos, mulheres de 14 a 44 anos e gestantes”, informou Sandaia Belfort, acrescentando que na primeira vigência deste ano – janeiro a junho – o município de Aracaju superou a meta de cobertura das condicionalidades de saúde, alcançando 76%, contra os 73% estabelecidos pelo Ministério da Saúde como meta mínima.

A coordenadora da Atenção Básica do município de Santa Rosa de Lima, Acácia Ruth Pereira de Assis, concorda com Belfort, mas aponta uma dificuldade comum a todos os municípios. “Tivemos que começar do zero a vinculação das pessoas à unidade de saúde porque não pudemos importar as informações do sistema anterior”, disse a gestora, informando que o trabalho de cadastramento das quatro mil pessoas do Bolsa Família do seu município foi concluído e passado para os agentes de saúde fazerem o acompanhamento. Destacou que em Santa Rosa de Lima a cobertura das condicionalidades chega a 95%.

No âmbito estadual, Sergipe está bem em relação à meta de cobertura das condicionalidades de saúde pactuada com os municípios e o Ministério da Saúde. “Acordamos uma meta de 78%, que superamos nesta primeira vigência de 2018. Estamos com 83%”, atestou Ronaldo Cruz salientando que o Programa Bolsa Família é estratégico e tem dado resultados importantes para a saúde pública no Brasil e em Sergipe, a exemplo da redução expressiva dos indicadores de mortalidade infantil.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: