Sergipe e RN compartilham experiências sobre a Busca Ativa Escolar

Sergipe e RN compartilham experiências sobre a Busca Ativa Escolar
setembro 13 13:20 2019 Imprimir Conteúdo

Os 75 municípios sergipanos aderiram à plataforma do Unicef para a Busca Ativa Escolar, tornando o Estado uma referência para outros que estão implementando essa política pública educacional.

Por Ítalo Marcos

A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), através do Departamento de Educação (DED), promoveu na manhã desta sexta-feira, 13, um encontro com representantes da Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Norte, realizado no auditório do Centro Administrativo da Educação, em Aracaju. A reunião contou com a presença de supervisores regionais e das secretarias municipais de Educação, além da consultora da área de Educação do Unicef, Daniella Rocha Magalhães e da Undime dos dois estados.

O encontro teve como principais objetivos promover um alinhamento de ações e o compartilhamento de experiências sobre a Busca Ativa Escolar entre os estados, que faz parte da iniciativa do Unicef “Fora da Escola Não Pode!”. Em outubro de 2018 o estado de Sergipe aderiu à plataforma do Unicef, com a participação, atualmente, de todos os 75 municípios. Já o Rio Grande do Norte está em fase de implementação e veio conhecer como a Busca Ativa tem sido desenvolvida em Sergipe.

De acordo com a diretora do DED, Ana Lúcia Muricy, apesar de atualmente o Estado ter 100% dos municípios na plataforma da Busca Ativa, é necessário mobilizá-los e orientá-los em relação a sua atualização, devendo os dados das crianças e adolescentes encontrados fora da escola ser inseridos na plataforma. Ela destacou ainda a importância do regime de colaboração dos municípios, ressaltando que a Busca Ativa também deve ser feita para trazer de volta à escola os jovens que estão em idade para estar no ensino médio.

“Esse regime de colaboração fortaleceu a Busca Ativa porque pudemos dar uma identidade maior envolvendo todos os setores, como a Saúde, Educação, Inclusão Social e demais secretarias estaduais e municipais. Isso faz com que as pessoas se conscientizem da nossa obrigação de assegurar a escola para todas as nossas crianças e adolescentes. Então não fica uma visão somente educacional, mas sim uma visão social”, declarou.

A consultora da área de Educação do Unicef, Daniella Rocha Magalhães, mostrou-se entusiasmada com o intercâmbio de informações entre os estados. “A gente está reunindo duas secretarias de Estado que estão implementando essa estratégia e estão tendo a oportunidade de se encontrar para socializar experiências, aprender uma com a outra e mostrar como está fazendo a Busca ativa. Estamos vendo o que tem sido mais desafiante e complexo e como podemos, juntos, pensar em estratégias para resolver questões que vão aparecendo”, afirmou.

Troca de experiências

Os 75 municípios sergipanos aderiram à plataforma do Unicef para a Busca Ativa Escolar, tornando o Estado uma referência para outros que estão implementando essa política pública educacional. Os representantes do Rio Grande do Norte, unidade da federação que ainda está implementando a Busca Ativa, destacaram a importância desse compartilhamento de experiências entre as duas unidades federativas. “A gente veio aprender com Sergipe, que já está mais avançado em relação à Busca Ativa, trocar experiências, ver o que podemos adequar para a nossa realidade. Queremos ver onde Sergipe avançou e como podemos também avançar. Essa troca interestadual só nos fortalece e, quanto mais articulações tivermos entre estados e municípios, melhor a possibilidade de avançarmos”, disse Magnólia Morais, gestora de políticas do Programa Busca Ativa Escolar e coordenadora das Diretorias Regionais de Educação do Rio Grande do Norte.

Quem também participou do encontro foi Keyson Cunha, assessor de comunicação e relações institucionais da Undime, seccional do Rio Grande do Norte. “A gente chega a Sergipe com um objetivo incansável de garantir uma troca de experiência entre os dois estados que buscam manter as crianças e adolescentes na escola. A gente vem buscando integrar estado e municípios para que seja garantido esse direito, desde a criança que vai entrar na pré-escola até o jovem ou adulto que precisa da EJA. Esse encontro hoje vem a fortalecer o nosso trabalho”, afirmou.

Representando a Undime, o gestor político do Programa Busca Ativa em Itabaianinha, Adailson de Jesus Silveira, fez uma apresentação de como a iniciativa tem sido desenvolvida em seu município. “Viemos socializar o que está dando certo e buscar respostas e soluções para alguns entraves que a plataforma apresenta. Também é importante conhecer a experiência de outros estados e ver quais sãos os pontos que temos em comum, para conseguirmos customizar a plataforma a ponto de melhor atender aos nossos anseios”, disse.

O Centro Dom José Brandão de Castro, organização parceira do Selo Unicef, também tem feito um trabalho efetivo na Bisca Ativa Escolar. A sua coordenadora, Joilda Aquino, destacou a importância dessa ação. “Qualquer estratégia que venha a provocar o Estado e os municípios a buscarem esses meninos e meninas que estão fora da escola é muito bem-vinda. O Unicef vem com uma plataforma consistente, e estamos trabalhando para diminuir os indicadores de crianças e adolescentes fora da escola em Sergipe”, declarou.

fonte e foto Assessoria de Comunicação da SEDUC

  Editoria: