Sergas utiliza alta tecnologia nas ligações de ramais para clientes

Sergas utiliza alta tecnologia nas ligações de ramais para clientes
maio 06 04:23 2022

 

Método utilizado é o não destrutivo

Deixar de abrir valas a céu aberto nos pavimentos das avenidas já era uma realidade nos serviços executados pela Sergas durante as ampliações de rede em vias públicas, e agora, com a utilização da nova tecnologia, passou também a utilizar o mesmo método não destrutivo na construção dos ramais de serviço para ligações dos seus clientes, com mais rapidez e menor dano ao pavimento público. O Boteco do Zé localizado no bairro Aruana, é mais um cliente que recebeu a ligação através da nova técnica.

Assim como na construção de rede de distribuição, onde é aplicado o método não destrutivo de perfuração direcional horizontal, a Sergas iniciou, no mês de janeiro de 2022, a aplicação do método não destrutivo de perfuração pneumática na construção dos ramais de serviço, que são segmentos de rede que ligam os seus cliente a rede de distribuição.

Segundo o engenheiro Gustavo Cruz, responsável pela gerência de engenharia da Sergas, o método consiste na abertura de dois poços, um de entrada e outro de saída da ferramenta. A distância média entre estes dois poços é de cerca de 15 metros, podendo chegar a 25 metros. “A ferramenta é lançada perfurando e avançando dentro do terreno, de forma autopropelida, compactando-o e criando um túnel, por onde se instala a tubulação que é arrastada imediatamente atrás da perfuratriz”, explica Gustavo.

O diretor presidente da Sergas, Valmor Barbosa, explica que “com a aplicação deste método não destrutivo, a empresa reduz, em cerca de 70%, os danos no pavimento asfáltico, quando comparado ao método destrutivo de vala a céu aberto. Além disso, é possível cruzar grandes avenidas sem a necessidade de interromper o tráfego de veículos. Outra vantagem é a redução do tempo de implantação de ramal de serviço, podendo implantar até 50 metros de rede por dia com a utilização desta técnica”.

Texto: José Castilho Almeida de Jesus

Foto: ASCOM/Sergas

  Editoria: