Semana Nacional do Trânsito é encerrada em Ciclo de Palestras na OAB/SE

Semana Nacional do Trânsito é encerrada em Ciclo de Palestras na OAB/SE
setembro 26 14:01 2019 Imprimir Conteúdo

O evento contou com a participação do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/SE) e demais parceiros que trabalham com a temática no estado

A Semana Nacional de Trânsito em Sergipe 2019 foi finalizada na tarde da quarta-feira, 25, dia Nacional do Trânsito, no auditório da OAB/SE, com um Ciclo de Debates: Direito de Trânsito e Mobilidade Urbana. O evento contou com a participação do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/SE) e demais parceiros que trabalham com a temática no estado.

Entre os debatedores estiveram o presidente do Fórum Nacional dos Conselhos de Trânsito (Focotran), Horário Mello; Marcius D’Ávila, do Observatório Nacional de Segurança Viária; Nelson Felipe, membro da Comissão de Direito de Trânsito e Mobilidade Urbana da OAB/SE, e Waldson Costa, diretor de pesquisa da ONG Ciclo Urbano.

O diretor-presidente do Detran/SE, Abner Melo, esteve no evento e agradeceu a presença de todos e a parceria da OAB/SE em promover um evento tendo o trânsito como foco. “Muito bom ver as pessoas aqui hoje para ouvir grandes profissionais falando sobre trânsito e mobilidade urbana, agregando conhecimento sobre a área”, destacou.

Para Marcius D’Ávila, ser recebido na OAB para falar sobre trânsito foi uma oportunidade ímpar. “Infelizmente estamos a um ano de finalizar a década de Segurança Viária e o Brasil não vai atingir a meta preconizada pela ONU, pelo contrário, vamos passar longe dela, embora seja algo possível, como se fez, por exemplo, Paulínia e São José dos Campos, em São Paulo, a partir de um trabalho competente, sistemático, com base na educação para o trânsito, que é a mudança do comportamento humano”, apontou, lembrando que atualmente os acidentes de trânsito matam aproximadamente 120 pessoas por dia.

Waldson Costa, diretor de pesquisa da ONG Ciclo Urbano, ressaltou a necessidade de falar de mobilidade com visões e concepções diversas. “A própria essência da mobilidade urbana hoje exige que você tenha o contraponto de várias áreas pensando no objetivo comum, que é estabelecer uma melhoria do transporte para as pessoas. Devemos ter momentos como este aqui não apenas em datas comemorativas, mas fazer com que a gente consiga mudar uma realidade, porque o que a gente vê nos últimos dez anos é a perpetuação de um modelo de transporte urbano que, segundo os dados, não tem mais para onde avançar”, disse.

Nelson Felipe, que é membro da Comissão de Direito de Trânsito e Mobilidade Urbana da OAB/SE, destacou a importância em reduzir o número alarmante de mortes no trânsito. “Não podemos ficar passivos a uma realidade onde morre todos os dias no Brasil igual à queda de um Boeing. A gente precisa viabilizar soluções, pois muitas vezes elas existem, mas não são implantadas pelo poder público. Um exemplo são calçadas largas e iluminadas, ciclovias – uma vez que temos uma cidade plana, um sistema de transporte coletivo eficiente. O que não podemos é ficar alheios a tudo isso”, completou.

Fonte: Detran/SE

  Editoria: