Sem vidas não há empresas

Sem vidas não há empresas
março 05 07:59 2021 Imprimir Conteúdo

Por Adiberto de Souza

A acertada decisão do governador Belivaldo Chagas (PSD) de proibir funcionamento de bares, shoppings e restaurantes nos finais de semana em Sergipe, provocou uma série de protestos de empresários e daqueles que ainda acham ser a covid-19 uma gripezinha. Estes senhores alegam que, afetados pela pandemia, os CNPJs de suas empresas já “estão na UTI”. Talvez eles não tenham percebido ainda a gravidade do fato de o coronavírus já ter cancelado no Brasil mais de 260 mil CPFs. Alguém precisa dizer a quem condena a aplicação de medidas mais duras visando conter a propagação do vírus, que vidas são muito mais importantes que empresas, por mais necessárias que estas sejam. Depois de morto, o CPF jamais será substituído, diferente do CNPJ. Portanto, neste momento de agravamento da pandemia, nada é mais urgente do que salvar vidas humanas, pois sem elas não há como constituir nem manter as empresas, tão necessárias à economia de um estado, de um país. Pensem nisso!

Inaugurações proibidas

E o deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) apresentou um projeto proibindo eventos e inaugurações de obras públicas enquanto durar a pandemia. O objetivo é evitar as aglomerações dos puxa-sacos de políticos, que se juntam em torno destes para aplaudir os discursos. Para conceber o projeto, Georgeo deve ter se inspirado na recente inauguração da Central de Abastecimento de Itabaiana, festa responsável pela maior aglomeração popular dos últimos tempos na região. Crendeuspai!

Emendas dissonantes

O deputado federal Bosco Costa (PL) está sendo acusado de em suposto desvio de emendas orçamentárias que teriam sido indicadas por ele para prefeituras do Maranhão. Segundo a Polícia Federal, os prefeitos beneficiados repassavam parte dos recursos federais para o parlamentar sergipano. Procurado pelo jornal Folha de S. Paulo, o deputado não quis falar sobre a grave acusação. Seria bom Bosco Costa também explicar por qual motivo um congressista de Sergipe coloca emendas do Orçamento para prefeituras do Maranhão. Admitamos, este é um soneto muito ruim de emendar. Misericórdia!

Cobrando vacinas

O governador Belivaldo Chagas (PSD) assinou a carta enviada, ontem, ao presidente Jair Bolsonaro solicitando que o governo federal procure organismos internacionais visando comprar vacinas contra o coronavírus. Além do gestor sergipano, outros 13 governadores assinaram ao documento. Eles alegam que os estados estão “no limite” e que a imunização em massa da população “é a alternativa que se afigura como a mais recomendável, e, provavelmente, a única capaz de deter a pandemia”. Estão certíssimos!

Foragido do medo

Assustado com a onda de prisões pelo país e temendo ser o próximo engaiolado por corrupção, um graúdo político sergipano tem dormido em casas diferentes. Acha que, desta forma, consegue evitar aquele indesejado: “Bom dia! Somos da Polícia Federal e estamos cumprindo um mandado de prisão contra o senhor”. Desconjuro!

Bom exemplo

O vereador itabaianense Alex Henrique (PP) testou positivo para a Covid-19 e se encontra isolado em casa. Taí um bom exemplo a ser seguido pelo também vereador de Itabaiana, Cabeça de Porco (MDB), que espalhou ter contraído o vírus e não deixou de bater pernas pela cidade. O péssimo comportamento do emedebista, inclusive, foi denunciado à Polícia pelo presidente da Câmara, vereador Marcos Oliveira (DEM). Marminino!

Cadê o livro?

O vereador Professor Bittencourt (PCdoB) fez discurso na Câmara de Aracaju cobrando ao governo de Sergipe a imediata publicação do livro contendo o relatório da Comissão Estadual das Verdade. A obra era para ter ficado pronta no ano passado, porém a editora estatal Segrase vem empurrado a impressão com a barriga. Alega problemas técnicos na gráfica. Instalada em 2015, a Comissão da Verdade catalogou documentos e ouviu depoimentos das vítimas de violações dos direitos humanos em Sergipe, no período de 1946 a 1988. Já há quem desconfie que o executivo estadual está segurando a publicação para não contrariar os militares e o governo federal. Home vôte!

A força do dim-dim

O dinheiro em espécie ainda é o principal meio de pagamento para os gastos do dia a dia. Segundo pesquisa do Instituto Locomotiva, 71% dos consumidores usam dinheiro vivo para honrar as despesas do cotidiano. Em seguida, aparecem os cartões de débito (24%) e crédito (4%). Entre os que usam dinheiro de papel, 77% dizem preferi-lo por ser mais fácil administrar as finanças. Ao mesmo tempo, 66% afirmam que conseguem mais desconto pagando em dinheiro vivo. Então, tá!

Ladeira abaixo

Os brasileiros estão morrendo de fome e de covid-19. A constatação é do dirigente petista Márcio Macedo. Segundo ele, a falta de gestão adequada da pandemia pelo governo Bolsonaro gera duas crises: a sanitária e a econômica. “O Brasil bate recorde de mortes, 1.726 em 24 horas e chega a 257,5 mil. A carestia e o desemprego batem na porta do povo. 63 milhões de pessoas na pobreza e 20 milhões na extrema pobreza”, afirma Macedo. Só Jesus na causa!

Legislando litígio

O prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) enviou à Câmara de Vereadores um projeto transformando os povoados da Zona de Expansão em seis bairros de Aracaju. A proposta alcança as localidades Robalo, São José dos Náufragos, Mosqueiro, Areia Branca, Gameleira e Matapuã. Os vereadores vão legislar sobre uma área que está em litígio. A Prefeitura de São Cristóvão alega que a Zona de Expansão pertence ao seu território, enquanto o executivo da capital argumenta que uma lei estadual transferiu aquela área para Aracaju. Essa briga territorial promete demorar ainda muito tempo. Vixe Maria!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Diário da Manhã, em 27 de março de 1915.

  Editoria: