Secretaria de Estado da Saúde lança novo informe epidemiológico

Secretaria de Estado da Saúde lança novo informe epidemiológico
fevereiro 26 05:19 2018 Imprimir Conteúdo

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) lançou, nesta sexta-feira, 23, o informe epidemiológico que tem como objetivo atualizar quinzenalmente a situação epidemiológica das arboviroses e da microcefalia em Sergipe. O informe também se destina a divulgar os resultados do índice de infestação local por Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, febre do chikungunya e zika vírus.

De acordo com a gerente de Informações e Estatísticas da SES, Eliane Nascimento, em 2018 um caso de microcefalia foi notificado em Sergipe, sendo que no ano passado quatro notificações da doença foram realizadas. “Dos dois casos prováveis de zika vírus, esses provenientes dos municípios de Aracaju e Lagarto, nenhum foi confirmado, de acordo com o último informe epidemiológico elaborado pela secretaria”, declarou a gerente.

Dados sobre febre do chikungunya vão de encontro a três novos casos prováveis em 2018, registrados na capital sergipana e em Estância. Da mesma forma, nenhum deles foi confirmado. Já a dengue é a arbovirose que apresenta o maior número de casos prováveis, totalizando 23 em 2018, notificados de Aracaju, Estância e Nossa Senhora do Socorro. Desses, cinco casos foram confirmados.

Febre amarela

Uma reunião realizada no último dia 15, no Centro Administrativo da Saúde, teve como foco uma estratégia mais ampla de prevenção à febre amarela, a ser desenvolvida especificamente na capital. Na ocasião, o secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima, recebeu a secretária Municipal da Saúde, Waneska Barboza, para analisar a proposta, que visa vacinar com mais amplitude os grupos prioritários, ou seja, que mais circulam no Estado.

A idéia apresentada é também discutir junto ao Ministério da Saúde (MS) a possibilidade da aplicação de dose fracionada nas proximidades do município de Canindé de São Francisco, visto que Sergipe dispõe da aplicação de dose plena, uma vez que não apresenta situação de risco para a doença.

Com o anúncio sobre febre amarela feito pelo MS, relacionado a Canindé de São Francisco em função das proximidades com Paulo Afonso, que já registrou caso de primata acometido pelo vírus há um ano, a SES fez o levantamento do estoque de vacinas e das ações municipais realizadas para imunização.

“Chegamos a conclusão que deveríamos convocar prefeitos e secretários municipais de saúde para a realização de fumacê repetidas vezes, com intervalo semanal, com envio de equipamentos e motoristas para esse trabalho, não apenas das sedes dos municípios, mas também nas áreas urbanas dos povoados. Os municípios, por sua vez, disponibilizarão seus agentes de endemias”, frisou o secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: