Saúde avança na implementação da gestão de custos nas unidades próprias

maio 24 14:30 2022

 

Os gestores de custos e gerentes das 11 unidades assistenciais da Secretaria de Estado da Saúde (SES) que têm implantada a gestão de custos participam nesta terça-feira, 24, de simpósio que aborda a importância da apuração de custos e a padronização do APARASUS, o Sistema de Apuração e Gestão de Custos do SUS do Ministério da Saúde. A ferramenta foi implantada em Sergipe em abril de 2019, mas o seu desenvolvimento foi postergado por força da pandemia.

O simpósio é ministrado por técnicas do Ministério da Saúde e se constitui na etapa subsequente à implantação do APURASUS, segundo informou a gerente do Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde (CIDES) da Secretaria de Estado da Saúde, Eliane Nascimento, salientando que o objetivo maior do programa é qualificar os gastos dos recursos públicos.

“A parceria com o Ministério da Saúde para o Programa Nacional de Gestão de Custos da Saúde fortalece a gestão do SUS Sergipe, à medida que conseguimos enxergar de forma eficiente todas as despesas realizadas no atendimento à população sergipana. A Secretária Mércia Feitosa determinou que nossa equipe não medisse esforços para implantar a Gestão de Custos em nosso Estado e, hoje, operamos o tema com a metodologia sugerida como política nacional para assessoramento na tomada de decisão”, declarou o diretor de Planejamento da SES, Davi Fraga.

A administradora e técnica do Ministério da Saúde, Márcia Andrea Faria Rodrigues, informou que a capacitação desta terça-feira está focada na revisão dos dados coletados desde a adesão ao APURASUS, com vistas a trazer maior eficiência para a gestão dos recursos da saúde. “Nossa proposta é revisar e aprimorar os dados para, junto com os gestores de custos e gerentes, tomar decisões que gerem daqui a dois, três, quatro meses, melhores resultados para a gestão”, enfatizou.

Segundo ela, o programa traz a possibilidade do equilíbrio entre os recursos limitados e os custos da unidade com o atendimento à demanda do SUS, que é sempre crescente. “Você precisa entregar à população serviços melhores e mais diversos, então como equilibrar essa limitação de recursos que você tem no orçamento com a demanda de usuários que é infinita? Então, a gente entende que trazendo a gestão de custos se chega a esse equilíbrio, para atender mais pessoas com a qualidade que é necessária, sabendo das particularidades de cada um porque é preciso garantir a equidade e atender a todos”, disse.

O coordenador Administrativo do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse), André Luiz de Oliveira Nascimento, é um dos participantes do simpósio. Ele gere o APURASUS na unidade e garante que o sistema é um divisor de águas no acompanhamento dos custos e despesas do hospital.

“Antes, a gente tinha praticamente uma análise empírica dos dados, o que nos impedia, muitas vezes, de tomar decisões muito rápidas. Com a apuração, a gente consegue fazer a alimentação do sistema, enxergar a unidade baseada em seu organograma e tem esse monitoramento a cada final de mês. Acompanhamos o comportamento das despesas, dos custos, e a partir daí sabemos onde precisamos atuar para melhorar e otimizar os recursos, de modo a ofertar serviços qualificados à população”, assinalou.

Foto: Valter Sobrinho

  Editoria: