Saúde apresenta Plano Estratégico para os Festejos Juninos 2022

Saúde apresenta Plano Estratégico para os Festejos Juninos 2022
maio 31 15:08 2022

 

Em coletiva de imprensa, realizada no Centro Administrativo da Saúde na manhã desta terça-feira, 31, a secretária de Estado da Saúde, Mércia Feitosa, apresentou o Plano Estratégico de ações da Saúde para os Festejos Juninos 2022. Também foi lançado o mote da campanha da Secretaria de Saúde para os festejos juninos deste ano: “Forró e vacinação”, com foco principal na Covid-19.

“Nós temos a vacina como principal ferramenta para trabalhar nesse momento com toda a população porque entendemos que essa população está envolvida com os festejos juninos, o que é natural depois de dois anos sem esse que é um dos principais eventos da nossa gente”, disse em sua fala de abertura.

Mércia Feitosa apresentou os dados da cobertura vacinal contra a Covid-19 em Sergipe. Ela mostrou que o grupo de idosos está com uma cobertura significativa de 86% até o primeiro reforço. No entanto, quando se trata do segundo reforço, apenas 34% dos idosos foram vacinados, o que, segundo ela é preocupante, tanto quanto o grupo de adultos, que cobre a faixa etária de 18 a 59 anos. Apenas 50% deles tomaram a dose de reforço.

“São essas pessoas que estarão nas festas juninas, ou seja, em ambientes aglomerados, e precisam estar vacinadas porque a gente tem que reativar a imunidade da nossa população, a gente tem que começar a criar algo como um cinturão de proteção e isso a gente só vai conseguir se todos buscarem a vacina. É importante que, com a mesma ênfase que estamos buscamos a diversão, busquemos também a prevenção, a imunização”, conclamou Feitosa.

Quanto à cobertura vacinal do adolescente, a secretária evidenciou que 80% deles estão vacinados com a segunda dose, percentual que ainda pode ser ampliado para que se chegue ao desejado, que é de 85% para todos os grupos. Mércia Feitosa informou que Sergipe vai começar a executar o primeiro reforço para adolescente, ação aprovada pelo Ministério da Saúde. Ao falar sobre a criança, a secretária informou que 70% delas tomaram a primeira dose, mas apenas 40% receberam a segunda dose. “Pais e responsáveis precisam retomar a vacinação das crianças”, orientou.

Saúde preparada

Na companhia do coordenador da Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Sergipe, Bruno Cintra, e das superintendentes do Samu, Érica Junqueira de Alencar, e Hemose, Erivalda Gonçalves Barreto, Mércia Feitosa atestou que a Secretaria de Estado da Saúde está pronta e organizada para garanti assistência de média e alta complexidade à população sergipana durante os festejos juninos.

Em sua fala, Cintra destacou que queimaduras são evitáveis, tanto que durante a pandemia, quando foi proibido queimar fogueiras e soltar fogos, houve uma queda de 50% no número de queimados no período junino, e de quase 60% na ocupação das unidades no Estado. “Fogos de artifício são pólvora e fogo, o que implica em dizer que inevitavelmente irão queimar alguma criança mais desavisada. Da mesma forma, a mistura álcool, fogueira e criança sinaliza tendência de que algum acidente grave pode acontecer. A população precisa estar em alertar para esses fatos”, disse, salientando que equipes e estrutura do Huse estão preparadas para atender a população.

A superintendente do Samu informou que desde o mês passado o serviço tem recebido solicitação para atendimento e apoio nas festas, somando 14 municípios que, juntos, totalizarão 27 dias de folia, aglomerando públicos pequenos, médios e grandes. “Criamos um estrutura específica para o São João que envolve 170 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e condutores, e 41 viaturas. Deixo claro que essa organização está à parte dos atendimentos rotineiros do Samu. A população que não estará na festa não será desassistida”, atestou.

A superintendente do Hemose destacou o Junho Vermelho, mês de mobilização pela doação de sangue. “Esta é uma campanha mundial, quando a gente propaga e intensifica os trabalhos de captação de doações para o nosso controle de estoque. É necessária uma mínima de 120 a 150 doações por dia para a reserva de segurança e assim atender toda a rede hospitalar. Então, reforçamos aqui a importância da população se conscientizar quanto a importância da prevenção, tanto em relação às doenças, quanto a comportamentos que ameacem a própria vida e a vida dos outros, como beber e dirigir”, aconselhou.

Foto: Valter Sobrinho

  Editoria: