Sargento da PM é acusado de agredir um policial civil em Aracaju

Sargento da PM é acusado de agredir um policial civil em Aracaju
março 07 09:08 2019 Imprimir Conteúdo

O policial civil identificado como Carlos Iran, lotado na Corregedoria da Secretaria de Segurança Púbica de Sergipe (SSP/SE), está acusando um sargento da polícia militar de tê-lo agredido durante uma abordagem policial na última segunda-feira (04), no bairro São Carlos  em  Aracaju.

Tudo teria começado quando o PC o questionou sobre a forma de abordagem, quando Carlos disse que ” tivesse mais calma e que não era assim, com grosseria o modo correto de agir. Foi quando ele colocou a pistola em minha cabeça e ameaçou atirar”, denuncia Iran.

Segundo o policial Carlos Iran, o “o sargento queria me matar. Ia ser como o Wilson”, desabafou o PC, explicando que mostrou sua carteira funcional e que teria sido ignorada pelo militar. “Ele queria me matar de toda maneira. Ela mandava que eu pegasse minha arma. Agora eu digo: Vamos nos encontrar só nós dois”, convidou o PC em entrevista ao radialista J. Pereira na manhã de hoje.

Carlos Iran informou também que já acionou sua assessoria jurídica e que irá procurar ainda o Ministério Público Militar para prestar a queixa.

Por conta dessa situação, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE) emitiu uma nota onde diz que o sindicato “vem a público esclarecer a atitude arbitrária de um sargento da Polícia Militar cometida na tarde de segunda-feira, 04, contra um policial civil”.

Veja a nota do Sinpol

O policial civil passava no próprio veículo pelo bairro São Carlos, quando próximo à avenida Principal foi abordado pelo PM, que de maneira exaltada, realizou abordagem policial.

Mesmo o policial civil apresentando a identificação funcional, o sargento da PM o agrediu com tapas e fez ameaças à vítima com uso de arma de fogo. O policial civil registrou Boletim de Ocorrência logo após o fato. PM

O Sinpol/SE lamenta o ocorrido e destaca que as Polícias Civil e Militar devem unir forças no combate ao inimigo comum: a criminalidade em Sergipe.

O Sindicato ressalta ainda que nesta quinta-feira, 07, representantes do setor jurídico da entidade sindical comparecerão à Corregedoria da Polícia Militar e ao Ministério Público para acompanhar o policial civil vítima do ocorrido.

Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE).

Munir Darrage

  Editoria: