São Cristóvão é contemplado pelo Projeto Rede Escolas Ativas do IEE

São Cristóvão é contemplado pelo Projeto Rede Escolas Ativas do IEE
junho 01 14:26 2022

Com o objetivo de democratizar o acesso das crianças ao esporte e à educação física de qualidade, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) de São Cristóvão participou nos últimos dois dias do Projeto Rede Escolas Ativas do Instituto Esporte e Educação (IEE). A ação ocorreu na quadra da EMEF Araceles Rodrigues Correa e reuniu profissionais da rede municipal.

O Projeto Rede Escolas Ativas do IEE consiste em quatro módulos realizados de forma híbrida, com dois encontros presenciais e dois virtuais, em vários municípios do país. Após isso, será realizado um seminário presencial para promover uma troca de experiência e conferir os resultados obtidos com os professores com seus alunos em sala de aula. Em Sergipe, o município de São Cristóvão foi o único contemplado, referenciado pelo seu excelente trabalho de equipe e pelo sucesso obtido em parcerias anteriores.

De acordo com a representante do IEE, Cibele Venâncio, o Projeto Rede Escolas Ativas foi desenvolvido pelo Instituto junto ao Ministério da Cidadania (MC) através da Lei de Incentivo ao Esporte, e busca formar educadores por meio do movimento, em como se relaciona em todo o contexto escolar, seja na saúde, no aprendizado, entre outras questões. “Queremos que as escolas reflitam a relação de atividade física das crianças e que os professores observem o movimento deles. Atualmente nós temos uma geração cada vez menos praticante de exercícios, então queremos incentivar as escolas a pensar caminhos para colocar esses jovens em movimento”, explicou.

A representante da Semed, Thais Mara, considerou o módulo relevante pois acabou aprendendo sobre os benefícios da movimentação para o desenvolvimento pessoal do estudante, o professor enquanto profissional e a escola como um todo. “Aqui nós temos representantes que são professores, cuidadores e estagiários que vão ser multiplicadores em suas unidades de ensino. Nós dependemos de todo esse público para a aprendizagem dos nossos alunos, e esse envolvimento não é só em sala de aula, mas em todos os campos da sua unidade. Então o porteiro precisa estar bem, a merendeira precisa estar bem, todo mundo precisa estar bem para que a escola funcione”, disse.

O aluno como protagonista

A gestora da EMEF Dr. Martinho de Oliveira Bravo, Eliana Santos, elogiou a atividade e espera aplicar o que foi ensinado dentro da sala de aula. “Se cada professor tivesse consciência de que esse trabalho ajuda, ele colocaria em prática porque não será um benefício somente para o aluno, mas também para a escola, vai estimular o estudante e assim ele terá um resultado nos trabalhos que ele está realizando”, comentou.

Já a diretora da EMEF Deputado Antônio Carlos Leite Franco, Leda Pereira, compartilha da mesma opinião e acrescentou que já está programando atividades para inserir aos seus alunos. “Essa atividade dá um gás e mobiliza o aluno numa forma diferente de incentivar a aprendizagem, além de movimentar mais, então é muito importante”, finalizou.

Da assessoria

Foto: Dani Santos

  Editoria: