Sai Lula, entra Haddad

setembro 11 08:39 2018 Imprimir Conteúdo

Impedido de disputar a presidência da República por ser ficha suja e se encontrar preso, Lula da Silva (PT) será substituído, nesta terça-feira, pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). Ocupada até hoje pelo político paulista, a vaga de vice será transferida para Manuela D’Ávila (PCdoB). Feita a menos de um mês do 1º turno das eleições, esta mudança é uma grande incógnita, pois se está substituindo ninguém menos do que o líder de todas as pesquisas. Entre os petistas a expectativa é que a enorme força política do “Barba” catapulte Haddad à liderança da disputa. Os adversários do PT pensam diferente e até afirmam que o golpe de faca no presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) ajudará a sacramenta-lo na dianteira, ao tempo em que empurrará o novo candidato petista pra baixo. São apenas suposições de ambos os lados e que podem ou não se confirmarem nas urnas em 7 de outubro próximo. Aguardemos, portanto!

Longe de Temer

Candidato à reeleição, o governador Belivaldo Chagas (PSD) não pode mais se referir aos Valadares (PSB) – pai e filho – como “a turma de Temer”. A proibição do Tribunal Regional Eleitoral atende um pedido feito pela coligação de Vavazão e Vavazinho. Também quem é doido querer ter o nome ligado ao do mordomo de filme de terror, que em todas as pesquisas aparece lá embaixo, empatado com a margem de erro? Crendeuspai!

Cadê a grana?

Aqui e ali, candidatos proporcionais se queixam da falta de apoio para colocar a campanha nas ruas. A maior reclamação é com os partidos que não estariam liberando dinheiro para custear o material gráfico. Os candidatos afirmam que sem os “santinhos” fica difícil mostrar a cara ao eleitorado. Já tem gente pensando em desistir da empreitada. Que crise!

Quer justiça

O candidato ao Senado, pastor Heleno Silva (PRB), promete processar quem o acusou de envolvimento com um rapaz, preso quando tentava abastecer o carro usando um cartão corporativo do governo sergipano. “Trata-se de uma armação política enorme. Tentaram me envolver numa situação que eu não estava nem perto”, discursa o evangélico. Marminino!

Corda bamba

A Justiça Eleitoral julga hoje, o registro da candidatura de Manoel Sukita (PTC) à Câmara Federal. Contra ele pesa uma condenação, em segunda instância, a 13,9 anos de prisão, por corrupção eleitoral, desvio de verbas e autorização de despesas ilegais. Enquanto aguarda o julgamento, Sukyta voa por aí, atrás de votos em seu helicóptero amarelo. Danou-se!

Maldade política

Esquecido pela classe política, o biscateiro José Ribeiro, o “Rola”, foi sepultado, ontem, apenas por familiares e amigos.  Ele representou o voto de protesto das eleições de 2002, graças ao slogan “Rola neles”. Obteve pouco mais de 20 mil votos e só não se elegeu porque o PGT recusou fazer coligação. Abandonado pelos políticos, que antes o paparicavam, José Ribeiro repetia, sem mágoas, que “estimularam Rola e depois lhe deram as costas”. Homem, vôte!

Fora Lula!

E o Ministério Público de Sergipe quer suspender as propagandas eleitorais onde Lula da Silva (PT) aparece como presidenciável. O MPE também pede a suspensão das propagandas nas quais a exibição de Lula ultrapassa 25% de tempo. Segundo a procuradora eleitoral Eunice Dantas, a coligação “Pra Sergipe Avançar” descumpre decisão da Justiça, que indeferiu a candidatura do “Barba”. Então, tá!

Martelo batido

O presidente da Assembleia, deputado Luciano Bispo (MDB), homologou o resultado do 1º concurso público promovido pelo Legislativo sergipano. O certame contou com 45 mil inscritos, que disputaram 96 vagas. Os salários variam R$ 3.164,48 (nível superior) a R$ 2.103,36 (nível médio), além dos auxílios alimentação e saúde. Legal!

 Abra o olho

 A cada 15,9 segundos ocorre uma tentativa de fraude através do roubo de identidade, em que dados pessoais são usados por criminosos para firmar negócios. Segundo o Indicador Serasa Experian, entre as tentativas de golpe, a principal é a emissão de cartões de crédito obtidos com identificação falsa ou roubada. A telefonia foi responsável por 42,3% do total de tentativas de fraude.

Vigarice eleitoral

É forte o movimento de vários setores da sociedade contra os ladrões de consciência, aqueles políticos que enxergam o eleitor como gado preso no curral e pronto para ser vendido. É papel de todo cidadão ajudar a inibir as ações dos maus políticos, que pensam ser a eleição um trampolim para o enriquecimento ilícito. Ao povo, cabe denunciar os vigaristas eleitorais, pois vender o voto é perder a cidadania. Aff Maria!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano A Cruzada, em 24 de junho de 1967.

Resumo dos Jornais

  Editoria: