Resposta à pandemia deve atender as demandas educacionais

Resposta à pandemia deve atender as demandas educacionais
outubro 16 06:11 2020 Imprimir Conteúdo

Para Ana Lúcia, medidas precisam garantir acesso ao ensino e melhoria das condições de trabalho dos professores

Hoje, Dia do Professor, um dos principais debates defendidos pela categoria é o impacto das condições de trabalho docente diante da pandemia da Covid-19.  Para a candidata à vice-prefeita pela Coligação Aracaju de Todos Nós, a professora Ana Lúcia (PT), os desafios impostos pela situação pandêmica só serão superados com o apoio e participação do poder público na oferta de alternativas que atendam as demandas educacionais de ensino e aprendizagem.

Na avaliação da professora Ana Lúcia, há necessidade de um apoio da gestão pública em lidar com os impactos da pandemia e seus efeitos diretos no exercício profissional dos educadores, que estão sujeitos a uma rotina de trabalho muito maior para atender as demandas do ensino-aprendizagem. “As professoras e professores cumprem, agora com a pandemia, uma tripla jornada, tendo que se adaptar a uma nova organização escolar, que envolve não somente as novas práticas de ensino-aprendizagem com um aparato tecnológico, mas, também, uma disponibilidade de tempo excessiva para oferta de materiais pedagógicos”, explica.

A professora ressalta, ainda, que é preciso pensar em políticas públicas de enfrentamento que dialoguem em várias frentes como as áreas de educação, saúde e assistência social para amenizarem os impactos emocionais, abandono e evasão escolar que venham a ocorrer no atual cenário.  Numa perspectiva de experiência pedagógica, a professora Ana Lúcia destaca que é necessário que o poder público oferte condições que assegurem a qualidade do processo ensino-aprendizagem durante o período de isolamento social.

Ela destacou que, no período pandêmico, a atuação docente é um debate importante que evidencia uma discussão sobre a importância da profissão na sociedade e os riscos que a covid-19 vêm impondo à prática pedagógica e o acesso ao ensino.

Em Aracaju, este cenário não é diferente e vem sendo marcado por demissões de professores e exclusão digital que afeta estudantes e educadores. “A resposta do poder público deve ser o de encaminhar aos estudantes material didático-pedagógico como livros, jogos educativos e outros recursos que dinamizem o processo de ensinar e aprender”, instrui.

Para a professora Ana Lúcia, o enfrentamento à pandemia na educação deve atender as demandas de professores e estudantes das escolas públicas que estão vulneráveis à sobrecarga de trabalho e exclusão digital com a alternativa das aulas remotas para cumprimento dos protocolos de distanciamento sanitário.

Além disso, ela observa que a atual conjuntura ampliou e evidenciou a exclusão social e educacional com o ensino remoto na educação básica. Neste ponto, Ana acredita que os problemas enfrentados pelos professores impactaram no exercício da profissão, com a maioria dos docentes sem acesso a equipamentos para realização de aulas, afora implicações no conteúdo pedagógico. Somado a isso, a professora afirma que o poder público precisa promover ações de valorização do magistério e da escola pública durante e após a pandemia. “O momento pede acolhimento e proteção de direitos, diferente do que estamos presenciando, com a demissão de professores na rede municipal de ensino de Aracaju”, critica.

Foto assessoria

Foto: Janaína Santos

  Editoria: