Região Agreste: Em quatro anos, homicídios caem 45% em Itabaiana

dezembro 22 08:54 2020 Imprimir Conteúdo

Itabaiana completou um período de 30 dias sem o registro de homicídios no município, que fica localizado na Região Agreste de Sergipe. Entre o mês de novembro, com uma ocorrência registrada no dia 18 daquele mês, e a última ocorrência, nesse domingo, 20 de dezembro, houve um intervalo de mais de um mês sem a ocorrência de mortes violentas no município. Segundo os dados da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEACrim) da SSP, de janeiro a novembro de 2016 foram 91 homicídios na cidade. Ao passo que, no mesmo período de 2020, foram 50 casos de mortes violentas. O levantamento aponta a redução de 45%.

De acordo com os dados da CEACrim, no ano de 2016, no qual houve uma alta nos índices de criminalidade em todo o estado, foram contabilizados 91 homicídios no período de janeiro a novembro em Itabaiana. Ao final daquele ano, foram 100 ocorrências de mortes violentas na cidade serrana. No ano seguinte, 2017, de janeiro a novembro foram 77 crimes. Em todo o ano, 87. Já em 2018, considerando apenas os 11 meses, foram 64 casos e, ao final do ano, 68. Em 2019, de janeiro a novembro, 69 ocorrências e 73 crimes em todo o ano. Até o final de novembro de 2020, foram 50 casos.

Os índices representam reduções consecutivas desde o ano de 2016. Em comparativo entre o período que abrangeu janeiro e novembro de 2019 e de 2020, a redução foi de 28%. A queda foi de 22% entre 2018 e 2020. Já entre 2017 e 2020, a retração foi de 35%. Por fim, entre 2016 e 2020, a CEACrim verificou a redução de 45% na ocorrência de homicídios na cidade de Itabaiana. O trabalho integrado entre o 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM), comandado pelo coronel Sidney Barbosa, e a Delegacia Regional de Itabaiana, coordenada pelo delegado Tarcísio Tenório, resultou nos dados positivos obtidos na cidade.

“Nos últimos meses, as equipes vêm realizando operações de repressão a homicídios, tráfico de drogas e roubos, tirando de circulação indivíduos suspeitos, apreendendo armas de fogo e drogas”, destacou o delegado. “Nossa primeira providência foi fazer o mapeamento dos crimes de homicídios que ocorreram nos anos anteriores e, de posse dessas informações detalhadas, montamos estratégias para combate específico ao crime de homicídio”, complementou o coronel.

O secretário João Eloy também ressaltou  que a integração entre as forças de segurança contribuiu positivamente para o número de vidas salvas com a redução dos homicídios. “Sem dúvidas, a integração entre as Polícias Militar, Civil e a Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp) no combate à criminalidade em Sergipe foi essencial para a queda dos números de homicídios em Itabaiana e em todo o estado de Sergipe. Estamos constantemente mapeando a mancha criminal em todas as regiões de Sergipe e definindo ações estratégicas para o combate da criminalidade e, sobretudo, a preservação de vidas em cada localidade do nosso estado”, pontuou.

  Editoria: