Reforma Previdenciária é discutida na Câmara de Vereadores de São Cristóvão

Reforma Previdenciária é discutida na Câmara de Vereadores de São Cristóvão
maio 03 15:45 2019 Imprimir Conteúdo

A audiência pública sobre a Reforma da Previdência que ocorreu na Câmara de Vereadores de São Cristóvão na 20ª sessão Ordinária foi considerada por todos os presentes como esclarecedora. O vice prefeito Adilson Júnior esteve presente à audiência representando o Executivo Municipal.

Com visões semelhantes sobre os itens que compõem a PEC 006 /2019 os deputado federal Fábio Henrique, e estadual Iran Barbosa elencaram os pontos propostos na PEC em que são contrários e explicou os motivos. Os pontos de maior discordância entre os palestrantes foram o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o aumento de idade para a aposentadoria rural.

Abrindo o debate, Iran Barbosa, salientou que antes de falar na Reforma Previdenciária, deveriam cobrar os grandes devedores da Previdência Social e criticou o sistema de capitalização que pretende ser implantado “É um castigo por estarmos vivendo mais. No Chile, onde aprovaram esse sistema maldoso, aumentou o índice de suicídios de idosos. Não podemos permitir isso aqui”, opinou.

O parlamentar federal Fábio Henrique é o único sergipano que compõe a Comissão Especial que analisa a propositura do governo federal. “Um dos pontos de grande importância é a ausência de regras de transição para aqueles que estão prestes a se aposentar. A sociedade precisa estar atenta para que não seja aprovada a proposta da forma que está, porque seria aprovar um pacote de maldades contra aqueles que contribuíram toda a vida, pois os trabalhadores terão de contribuir 40 anos para receber sua aposentadoria de forma integral”, alertou.

Os palestrantes foram questionados e parabenizados pelos vereadores Irmão Gibson, Lilo Abençoado, Leandro Renovação, Vanderlan Nego, Edson Pereira, Diego Prado, Djalma Santana (autor do convite a Fábio Henrique) e pelo presidente da Casa Legislativa, Paulo Junior (que convidou Iran Barbosa.

Ao final do debate, Paulo Junior comentou que antes de haver uma Reforma na Previdência brasileira, deveria haver reformas tais como a Tributária e a Política e que “o governo federal ainda não se encontrou com as expectativas do povo brasileiro”, e todos foram unânimes em concordar.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: