QUE VENHAM OS REGISTROS DAS CANDIDATURAS

agosto 07 05:40 2018 Imprimir Conteúdo

Terminadas as convenções, os partidos agora preparam o registro dos seus candidatos, cujo prazo encerra no próximo dia 15. Pelo que ocorreu até agora, é possível que ocorram mudanças até esta data? Sim, é possível. Nos dois maiores grupos que vão para a disputa este ano, nem todas as arestas foram devidamente aparadas, ou pelo menos não houve 100 por cento de satisfação entre todos os concorrentes.

Na coligação governista, parte do PT ainda está insatisfeita com o desfecho das convenções. O exemplo está na Articulação de Esquerda, liderada pela deputada Ana Lúcia, que lutou até o fim para emplacar candidaturas própria para o governo e senado. Foi derrotada pelo Campo Majoritário, liderado pelo ex-deputado Rogério Carvalho, que sempre defendeu uma união com o MDB e PSD, em apoio à reeleição de Belivaldo Chagas.

Por certo, o candidato governista não contará com a presença dos “esquerdistas” no seu palanque. Ana Lúcia, Iran Barbosa, Dudu e o professor Joel, juram de pés juntos que não mexem um dedo para ajudar Belivaldo, diferente do que fizeram com a então candidatura de Jackson Barreto, quando foram para a linha de frente.

Todos, ligados ao Sintese, não vão mobilizar os professores como fizeram da outra vez, mesmo com a candidata a vice-governadora e ao senado, sendo dois petistas, Eliane Aquino e Rogério Carvalho. Até que ponto isso pode prejudicar o projeto de reeleição de Belivaldo Chagas? Bem, isso só as urnas vão dizer.

NA OPOSIÇÃO

Também no grupo liderado pelo senador Eduardo Amorim (PSDB), candidato ao governo, as convenções estiveram longe da calmaria aparente. Não se pode negar que o ato realizado no Iate Clube foi um sucesso de público. Mas, no outro dia, muita confusão, idas e vindas, até o último minuto do sábado. O PPS protagonizou cenas que chegaram a esquentar a cabeça dos líderes. Primeiro foi por conta da indicação do primeiro suplente de senador de André Moura (PSC). Era Machado, depois Clóvis Silveira e o partido terminou não indicando ninguém. A vaga ficou com o PR, que apresentou o nome do empresário itabaianense, Agnaldo de Verso.

MAIS CONFUSÃO

Os problemas neste grupo de oposição não pararam por aí. O empresário Teixeira Caminhões (PTC), apesar de ter participado da convenção do PSB, queria emplacar o nome para a primeira suplência de Heleno Silva (PRB): não conseguiu. Foi mantido outro nome do PR, o de Adailton Souza, ex-secretário de Administração do prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho.

CHAPINHA OU CHAPÃO

Outra discussão que se prolongou foi a formação das chapas proporcionais. De novo o PPS, insistia em duas chapinhas para deputado federal e estadual. Conseguiu apenas para a AL e foi para o chapão disputar uma cadeira da Câmara dos Deputados.

MARIA

Quando tudo parecia resolvido, a deputada Maria Mendonça (PSDB) andou procurando alguns colegas e chegou a tentar uma chapinha envolvendo o seu partido. Não obteve sucesso e terá que disputar a reeleição no chapão. Haja problema.

PSB NA CALMARIA

Enquanto isso a convenção do PSB e partidos aliados, ocorreu num clima de calmaria. Valadares Filho para o governo, tendo a deputada estadual Silvia Fontes na condição de candidata a vice. A chapa para o senado, também sem novidade, formada pelo senador Valadares que disputa a reeleição e o advogado Henry Clay. A convenção não foi o fracasso que alguns analistas esperavam. A chegada do PDT e do PTB, deu um novo fôlego.

PR FORTALECIDO

Enquanto isso o PR saiu fortalecido do processo. Além de contar com nomes considerados fortes nas coligações proporcionais, ainda indicou os dois primeiros suplentes ao senado. Para a AL, o Partido da República apresenta Talysson Costa, filho do prefeito de Itabaiana, Janier Mota, vice-prefeita de Itabaianinha e Tijoi Barreto, que disputa a reeleição. Tem ainda Bosco Costa e Adelson Barreto como nomes fortes para a Câmara Federal. Adailton Souza e Agnaldo de Verso são os dois primeiros suplentes de Heleno Silva e André Moura, respectivamente. Mostrou força.

SUKITA VAI?

O nome do ex-prefeito de Capela consta na relação dos candidatos a deputado federal que serão registrados até o próximo dia 15. Se ele vai para a eleição? Bem, aí não dar para confirmar. No momento está inelegível, mas como estamos no Brasil, tudo pode acontecer.

AMÉRICO NA VICE

O vereador Américo de Deus é o candidato a vice-governador na chapa liderada pelo ex-vereador Dr. Emerson. Foi uma das convenções mais tranquilas.

UM SENADOR

O candidato a governador Mendonça Prado (DEM), disse ontem que decidiu só apresentar um candidato ao senado para evitar a confusão vivida, segundo ele, por outras coligações. Reinaldo Nunes, do PV é o candidato a senador.

RÁDIO JORNAL VENDIDA

A Rádio Jornal, uma das mais tradicionais de Sergipe, finalmente foi vendida. O novo dono é o ex-prefeito de Frei Paulo, José Arinaldo, que teria pago 5 milhões de reais. O primeiro passo do novo proprietário é migrar para FM, como fez com a Educadora de Frei Paulo. Nos últimos anos a Jornal, que já foi uma das mais ouvidas, viveu uma crise financeira muito grande, inclusive com atrasos de salários.

PASTOR ANTÔNIO DEFENDEA VIDA

Presidente da Associação dos Parlamentares Evangélicos do Brasil, o deputado Pastor Antônio dos Santos, tem sido uma voz a favor da vida e contra o aborto. Ele se encontra em Brasília, onde participa de audiência Pública no STF que debate proposta do PSOL para descriminalizar o aborto do Brasil.

Candidato a deputado federal, Pastor Antônio dos Santos (PSC), há muito se tornou uma liderança a nível nacional, pela sua luta firme em favor da família 4e da vida, como ele mesmo diz. “Descriminalizar o aborto é oficializar o assassinato de seres humanos indefesos”, afirma.

APOIO CATÓLICO

Exatamente pela seu trabalho em defesa dos princípios cristãos, Pastor Antônio ganhou o apoio da cúpula da Igreja Católica na sua candidatura de deputado federal.

  Editoria: