Promotor de Justiça Nilzir Soares Vieira Júnior é empossado presidente da ASMP

julho 02 06:00 2019 Imprimir Conteúdo

O promotor de Justiça Nilzir Soares Vieira Júnior foi empossado como o novo presidente da Associação Sergipana do Ministério Público (ASMP), na manhã desta segunda-feira, (1º). A solenidade ocorreu no auditório Promotor de Justiça Valdir de Freitas Dantas na sede do Ministério Público de Sergipe. A chapa da diretoria e Conselho Fiscal, encabeçada por ele, foi eleita em junho.

Prestigiada pelas mais diversas autoridades, a cerimônia marcou a transmissão do cargo de presidente, antes ocupada pelo promotor de Justiça Jarbas Adelino. Ao se despedir do cargo, Jarbas Adelino agradeceu as conquistas obtidas pela ASMP no último biênio e enfatizou a participação ativa de todos da diretoria. O ex-presidente fez uma retrospectiva das realizações da ASMP e salientou que sai da direção da entidade com a alma leve e o coração sorrindo.

Representando Victor Hugo, presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público – CONAMP, o vice presidente Tarcísio José Souza Bomfim saudou o ex e o futuro presidente. “Momentos como esse, representam a renovação de esperanças, de sonhos, de espírito e de ânimo do movimento classista, e da trincheira de lutas associativas e institucionais do MP Sergipano e Brasileiro. Para aqueles cujo mandato se inicia, afirmo que sob a liderança de Nilzir Soares, haveremos de conduzir essa “nau” a navegar em águas mais tranquilas nesses tempos de tempestade”, pontuou Tarcízio Bomfim.

“Eu disse à minha alma, fica tranquila e espera. Até que as trevas sejam luz e a quietude seja dança”, assim começou Nilzir Soares, muito emocionado, seu primeiro discurso como novo presidente e segundo mandato na ASMP. Nilzir comandou a entidade, nos anos de 2015 a 2017.

O presidente empossado enfatizou a honrosa missão de dirigir a entidade de classe e prometeu se esforçar para moldar uma Associação proativa, equilibrada e independente. “Será estratégia prioritária de nossa atuação, primar pelo diálogo, pela identificação de soluções consensuais mas, em situaçãoes de impasse ou de colisão de interesses, a representação classista deverá servir de “porto seguro” ou de “último bastão” do associado, quando as instâncias de poder o desempararem”, afirmou. Ele agradeceu ás autoridades, amigos e familiares presentes.

Sobre os elevados propósitos do trabalho iniciado hoje, sobre as utopias buscadas nas ações realizadas, o novo presidente encerrou o discurso parafraseando Mário Quintana. “Se as coisas são inatingíveis…..ora! Não é motivo para não querê-las… Que tristes os caminhos, se não fora a presença distante das estrelas!

Fizeram parte da mesa de honra, além dos já citados, o PGJ, Eduardo Barreto d”Ávila Fontes; o secretário de Estado geral do Governo, José Carlos Felizola, representando o governador do Estado; o presidente da Alese, deputado Luciano Bispo; o presidente da Câmara de Vereadores de Aracaju, Jozenito Vitale; o procurador chefe do MP do Trabalho, Emerson Albuquerque; o procurador geral do MP Especial de Contas, João Augusto Bandeira de Melo; a corregedora geral do MP, Maria Conceição de Figueiredo Rolemberg; a coordenadora geral do MP, Ana Christina Souza Brandi; o ouvidor do MP, Carlos Augusto Alcântara Machado; o primeiro secretário da ASMP, Ricardo Machado; o defensor público geral, José Leó de Carvalho Neto; opresidente da OAB/SE, Inácio Krauss; o superintendente da PF em Sergipe, Renato Lima; o presidente da AMASE, Gustavo Plech; o presidente da Associação do Procuradores Municipais, Arício Andrade e o presidente da Associação dos Defensores Públicos, Herick Victor Dantas de Argolo.

Fonte e foto MPE

  Editoria: