Programa da SES estimula população masculina a cuidar da saúde

Programa da SES estimula população masculina a cuidar da saúde
julho 16 06:18 2018 Imprimir Conteúdo

 

Neste domingo, 15, foi comemorado o Dia  Nacional do Homem, data que tem como objetivo principal promover a conscientização sobre os cuidados com a sua saúde. A Secretaria Estadual da Saúde (SES) atua na promoção de ações para melhoria das condições de saúde da população masculina adulta – 20 a 59 anos – de Sergipe.

E é pensando nisso que desde junho de 2018, a SES tem levado a Unidade Móvel Saúde do Homem com o Projeto Saúde Homem,  a vários municípios do interior do estado, como Tobias Barreto, Pedrinhas, Pirambu, Itabaianinha, Divina Pastora, Riachuelo e Itaporanga D’Ajuda,   realizando consultas e avaliações médicas em pacientes da região.  Já na pré-consulta sãos medidos os índices glicêmico e de massa corporal, aferida a pressão arterial e com esses dados o paciente vai para a consulta com o médico dentro da unidade com informações que servirão de base para a avaliação e os encaminhamentos são dados para a rede de saúde municipal local.

De acordo com o coordenador Estadual de Saúde do Homem da SES, Demétrio Sérgio Reis, a oferta da Unidade Móvel visa favorecer a desmistificação da masculinidade hegemônica no campo da saúde, que contribui para uma baixa percepção de risco e invulnerabilidade dos homens frente aos agravos, situações e comportamentos de riscos vivenciados no seu cotidiano.

Ele frisa que a proposta principal da Unidade Móvel de Saúde do Homem, é o diagnóstico precoce das doenças crônicas como hipertensão arterial, diabetes, doenças do coração e colesterol, garantindo saúde integral ao público masculino.

“É uma carreta equipada com dois consultórios, uma sala para coleta laboratorial, uma sala para acolhimento e um banheiro. Lá, são realizados atendimentos de pré-consulta de enfermagem com aferição de pressão, Índice de Massa Corporal (IMC), circunferência abdominal e glicemia, além e consulta com um médico cardiologista”, revela.

O coordenador atentou que alguns elementos tornam os homens mais vulneráveis e devem ser observados pelos profissionais no planejamento e na execução das ações de promoção e prevenção, como a falta de uma cultura preventiva que valorize o autocuidado; o medo da descoberta de uma doença e a possibilidade de ter que se submeter a um tratamento; a  vergonha em realizar procedimentos clínicos e de se expor a um profissional da saúde a não identificação com os programas oferecidos pelos serviços de saúde.

Autocuidado

“Acredita-se que, seguindo o que preconiza a Política Nacional de Atenção Integral da Saúde  do Homem e para que eles pessoas possam se cuidar é preciso que estejam motivados e informados. Neste sentido, os profissionais de saúde podem e devem orientar, auxiliar e acompanhar o público masculino nesse processo. Sabe-se que, para alcançar uma melhoria da qualidade de vida é preciso pensar ou repensar sobre seu estilo de vida atual e assumir hábitos saudáveis, que podem ser em relação à alimentação, à atividade física, ao lazer ou a outras mudanças que promovam o bem-estar e adotem uma cultura de prevenção diante das diferentes situações da vida exercitando o autocuidado”, enfatiza Demétrio.

Ainda, sobre o autocuidado, ele informa que  o homem da atualidade se apresenta com grande interesse sobre os aspectos da sua beleza e a busca por uma aparência estética saudável tem atraído e conquistado cada vez mais o público masculino. Assim, associado a esse fenômeno, observamos na prática com a ação da Unidade Móvel da Saúde do Homem uma manifestação crescente de interesse pelo cuidado da saúde  por iniciativa própria e, em casos raros, acompanhados e, ou, estimulado pela família, o que comprova uma mudança de paradigma.

Fotos e texto: ascom SES

  Editoria: