Prefeitura de Aracaju realiza quarto LIRAa do ano em Aracaju

Prefeitura de Aracaju realiza quarto LIRAa do ano em Aracaju
julho 02 05:23 2019 Imprimir Conteúdo

Por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a Prefeitura de Aracaju realiza, até a próxima sexta-feira, dia 5, o quarto Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2019. O LIRAa é um instrumento de coleta de dados sobre a proliferação do mosquito que transmite dengue, chikungunya e zika vírus, que permite à gestão municipal ajustar estratégias e intensificar atividades preventivas.

De acordo com o gerente do Programa de Controle do Aedes, Jeferson Santana, na etapa atual, a da coleta de campo do LIRAa, os agentes de endemias visitam as casas e estabelecimentos comerciais de bairros da capital em busca de possíveis focos de larvas do mosquito. “O LIRAa é realizado a cada dois meses, e todo o material coletado durante o levantamento é encaminhado para análise laboratorial no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), que confirma se realmente são do Aedes aegypti ou de outro mosquito”, explicou.

Diante dos dados divulgados no último Levantamento Rápido de Índices do Aedes aegypti (LIRAa), no dia 17 de maio, que indicou o risco médio de uma infestação de dengue em Aracaju, ao subir de 1,2 para 1,8, a Prefeitura de Aracaju elaborou novas e mais intensificadas atividades para conter os casos de dengue.

A conscientização é o principal caminho para a solução do problema. As atividades promovidas pela SMS para evitar a proliferação do mosquito são baseadas na importância do trabalho conjunto com a população aracajuana para que os focos de armazenamento de ovos do mosquito sejam sempre eliminados.

Segundo Jeferson, quanto mais consciente e alerta a população estiver, menos casos da dengue acontecerão. “O trabalho dos agentes é feito de casa em casa, com a orientação aos moradores, que é o ponto mais importante. O trabalho do agente de endemias consiste em orientar a população, identificar criadouros e destruir focos. Em todos os casos, o agente explica ao morador os perigos das doenças transmitidas pelo mosquito e como evitar que os focos do Aedes aegypti surjam nas casas. O trabalho de conscientização é a nossa principal arma contra o mosquito”, esclareceu.

Jeferson alerta que a maior parte do desenvolvimento do mosquito continua dentro do domicílio, onde o vetor encontra alimento, abrigo e condições de proliferação mais facilmente. “A população tem um papel importante neste controle e nós, como gestão, continuamos a conscientizar e mobilizar toda a sociedade no cuidado e tratamento mecânico, com a eliminação de locais propícios a se tornarem criadouros. Só assim, através da preparação do meio ambiente, podemos diminuir consideravelmente a proliferação do mosquito, mesmo com a chegada dos períodos mais críticos. Na próxima semana acontece a consolidação dos dados colhidos deste LIRAa”, afirmou.

Foto: Ascom/SMS

Por Tirzah Braga

  Editoria: