Politizando – “Exterminado”, traficante já “matava” muitos jovens e destruía famílias!

Politizando – “Exterminado”, traficante já “matava” muitos jovens e destruía famílias!
outubro 04 12:30 2019 Imprimir Conteúdo

O que é a Polícia? Qual a sua função social? Antes de fazer este comentário, este colunista buscou o “GOOGLE” para ter acesso à definição exata e lá consta que a Polícia trata-se de uma “instituição que se divide em diferentes tipos e funções. As polícias são, no Brasil, órgãos do Estado que têm a finalidade constitucional de preservar a ordem pública, de proteger pessoas e o patrimônio, e realizar a investigação e repressão dos crimes, além do controle da violência“. Havia uma preocupação, por parte do titular deste espaço, se o mesmo estava fazendo uma avaliação fora da realidade…

A semana em Sergipe ficou marcada pela abordagem policial de homens da Rádio Patrulha que, em um cruzamento na Zona Sul da capital, deu ordem para um homem descer o veículo parado em um semáforo e ser revistado. Diante de uma reação do condutor, os policiais revidaram com tiros. Baleado, o homem foi levado para o Hospital em caráter de urgência, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. Isso poderia ter sido evitado? Sim, mas, em primeiro lugar, não cabe ao PM esperar a “gentileza” do condutor em querer descer do veículo e, muito menos, se ele tentou reagir à ordem policial.

Outro aspecto “relevante”: o “suspeito”, como alguns setores da imprensa noticiaram, é o traficante Léo Grandão, um homem com uma ficha criminal extensa, bastante perigoso, e mesmo procurado pelas autoridades policiais, conduzia um veículo pela Zona Sul da capital, sem qualquer receio e temor, em plena luz do dia, certamente apostando na deficiência da estrutura da Segurança Pública do Estado. Ao receber a ordem para descer do veículo, assumiu o risco de tentar reagir e não restou alternativa aos homens da Rádio Patrulha. E, como perguntar não ofende nunca, se fosse o policial o “executado”?

Este colunista não vai defender qualquer tipo de arbitrariedade, mas voltando ao “conceito da Polícia”, os homens da Rádio Patrulha estavam trabalhando dentro das normas estabelecidas e apenas fizeram uma abordagem comum. Por se tratar de um suspeito e pelo fato dele não ter atendido à autoridade policial, o pior ocorreu. Aqueles homens estavam, na realidade, arriscando suas vidas “na repressão dos crimes, realizando uma investigação no controle da violência“. Esta é a atribuição da Polícia! Não dá para ficar lamentando também a morte de um traficante! Ele não é “vítima do sistema”! Ele criou o seu próprio “sistema”!

Quantos jovens sergipanos foram vítimas desse traficante? Promover o tráfico de drogas e estimular o consumo ou comércio não é uma agressão? Quantos jovens deixaram de estudar, abandonaram um futuro e decidiram também desobedecer e afrontar a autoridade policial? Ah os “demagogos” de plantão vão minimizar jogando a culpa apenas na classe política, “na falta de uma política pública de incentivo e de geração de empregos eficiente, de acompanhamento a esses jovens”. E por que tem filho de pobre, que mora na periferia e não adere a esse “sistema”? Por que tem filho de pobre, é negro como este colunista, e não afronta a Polícia?

O “suspeito” Léo Grandão “matou” o futuro de muitos jovens com o seu tráfico de drogas. Quantas famílias eles desestruturou? Quantas famílias foram destruídas por esse “comércio paralelo”? Há ainda quem condene a operação policial, quem defenda a punição para os homens da RP! Frases como “colocaram em risco os demais motoristas”, “a reação não foi proporcional”, “a Polícia não está preparada” e “retiraram o carro do local” foram ditas e repetidas em diversas redes sociais. Mas poucos falaram: “ainda bem que o policial não foi ferido”. É uma “inversão de valores” e uma “insatisfação” que só perdura até precisar digitar o “190” no smartphone. Coisas do Brasil…

Veja essa!

A grande mídia dá exaustiva proporção quando uma vítima da sociedade é atingida em uma operação policial, mas geralmente não dá tanto espaço para propagar o mal que muitos traficantes fazem destruindo famílias e matando muito mais vidas.

E essa!

O policial quando erra, deve ser investigado e punido sim! Mas e quem pune o traficante? O Brasil já foi gerido por sociólogo, “santo nordestino”, militante social e representante das “elites” e nenhum deles resolveu o problema da violência.

Fala Eunice!

Em entrevista ao radialista Narciso Machado, na FAN FM, a procuradora da República, Eunice Dantas, fez um “balanço” de sua atuação apurando supostos crimes eleitorais. Sobre a chapa do governador Belivaldo Chagas (PSD) e da vice-governadora Eliane Aquino (PT), acredita na manutenção da cassação pelo Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE).

 Houve abuso

Eunice Dantas confirmou que já vinha monitorando a página oficial do Governo de Sergipe em 2018 e percebeu que havia um direcionamento para a pessoa do governador para se propagar ações de asfalto no interior (que foram suspensas depois da eleição), ou seja, configurando o uso da máquina em favor da coligação.

Não vai colar I

A Procuradora fez questão de destacar a isenção do desembargador José do Anjos em não permitir a “politização” dos julgamentos do Tribunal e lembrou que ele assumiu em fevereiro passado, sendo que as ações contra a chapa Belivaldo/Eliane já tramitavam desde 2018, ou seja, a tese do impedimento não vai colar.

Não vai colar II

Eunice Dantas explicou que, sobre a ação da Procuradoria, não há o que questionar sobre impedimentos. Já sobre a ação da coligação adversária, ela explica que o filho do desembargador – objeto do recurso da defesa do governador – só veio compor o escritório de advocacia há menos de dois meses, ou seja, quase um ano depois da ação ter sido protocolada.

Impedimento futuro

Este colunista reforça a teoria que advogados de Belivaldo, possivelmente em BSB ou em Recife (PE), tem um objetivo definido: em caso de José dos Anjos não se julgar impedido aqui em Sergipe, a chapa buscar a anulação do julgamento em uma corte superior. Pela Procuradoria não vai colar. É aguardar os “próximos capítulos”…

Mourão em Sergipe

Na tarde desta sexta-feira (4), às 14h30, o presidente da Alese, Luciano Bispo (MDB), fará as honras do ato solene de entrega da Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar ao vice-presidente da República, Antônio Hamilton Martins Mourão. A medalha é a maior honraria concedida pela Assembleia Legislativa de Sergipe para aqueles que contribuem para o engrandecimento do Estado e do Poder Legislativo ou por Mérito Excepcional.  O deputado estadual Capitão Samuel (PSC) foi o autor da homenagem.

Alessandro x Rogério I

Está declarada a “guerra” para a sucessão da chapa Belivaldo Chagas e Eliane Aquino que já foi cassada pela Justiça Eleitoral de Sergipe. Nas redes sociais assessores e apoiadores dos senadores Alessandro Vieira (Cidadania) e Rogério Carvalho (PT) travam uma verdadeira batalha. É um trabalhando e conspirando para derrubar e desgastar o outro…

Alessandro x Rogério I

Alessandro perdeu a posição de “rei da moralidade” para a Esquerda, movimentos sociais e entidades sindicais quando votou a favor e passou a defender abertamente a Reforma da Previdência de Bolsonaro (PSL); já o petista que faz “festa” em cima disso, com o IPES sobre o seu comando, simplesmente “silencia” sobre a Reforma que vem sendo elaborada pelo governador Belivaldo Chagas. Eita Sergipe!

Falando nele

Este colunista não é “assessor” de Rogério Carvalho, mas um fato lhe chamou a atenção: o “rei da moralidade” Alessandro Vieira, recentemente, foi um dos palestrantes do 42º Encontro Brasileiros de Agentes Públicos, em Maceió (AL). A empresa organizadora do Encontro é o ICAP (Instituto de Capacitação de Agentes Públicos).

Exclusiva!

A coluna apurou que existem registros de ações judiciais envolvendo este Instituto, que organiza feiras, congressos, exposições e festas. Numa dessas, na Paraíba, por exemplo, o Ministério Público denuncia um presidente de Câmara Municipal e outros vereadores por suposto desvio de verbas públicas para o pagamento de diárias e viagens, para eventos programados por esta empresa sergipana. E o senador Alessandro, que tanto critica a “velha política”, palestrando em um evento dessa empresa? Não basta ser honesto senador, tem que parecer também…

Simão Dias

O fato aconteceu na noite dessa quinta-feira (3), na terra do “galeguinho” Belivaldo Chagas: sem recursos para atender pacientes, o hospital de Paripiranga (BA) está encaminhando pacientes para a UPA de Simão Dias, em Sergipe. Uma paciente com 75 anos, vítima de AVC, recebeu medicação de enfermeiros dentro de uma ambulância na porta da UPA, porque o diretor da unidade e o médico de plantão supostamente se negaram a atendê-la.  A coluna está à disposição para o contraditório, mas uma solução precisa ser encontrada emergencialmente.

 Lagarto I

A prefeita Hilda Ribeiro acaba de nomear o ex-proprietário do Jornal Cinform, Alysson Bomfim, como novo secretário de Comunicação Social do Município de Lagarto. Pepinos para descascar não faltam! Um deles, gigante, tem a ver com o aniversário da cidade e o tradicional Festival da Mandioca. Vários prestadores de serviço e fornecedores ainda não receberam e estão se mobilizando para cobrar as faturas na Justiça.

Lagarto II

De acordo com denúncias que chegaram à coluna, há entre os credores, além de profissionais de comunicação, uma emissora de TV, duas de rádio e dois jornais diários, além de vários sites de notícia. O estranho é que se faça festa para angariar a simpatia da população, mas não se pague pelos serviços contratados. A Prefeitura de Lagarto é uma das poucas em Sergipe com condições de honrar os compromissos assumidos e, se não o faz, depõe contra a gestão.

Jefferson Lima I

“Defender a Petrobrás é Defender o Brasil. A sociedade precisa entender o quanto é importante ter empresas públicas fortes para os brasileiros e para um país em desenvolvimento como o Brasil. Nós somos e sempre seremos contra a corrupção. Quem roubou a Petrobrás ou qualquer outra estatal deve ser punido, mas isso não significa que, em nome da bandeira contra corrupção o país paralise/venda uma companhia do porte e importância da Petrobrás”. O depoimento é do historiador e presidente do PT em Aracaju, Jefferson Lima.

Jefferson Lima II

Jefferson ainda pontua que a Petrobrás é a nossa maior riqueza e tem uma grande importância para garantir as políticas públicas de saúde, educação e de diversas outras áreas. “Hoje, o brasileiro já paga caro pelos combustíveis, nossa gasolina é a segunda mais cara do mundo porque a política de preços é gerenciada pelo mercado internacional”.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

  Editoria: