“Políticos profissionais não servem ao povo, servem-se do povo”, afirma Milton Andrade

“Políticos profissionais não servem ao povo, servem-se do povo”, afirma Milton Andrade
julho 16 13:53 2018 Imprimir Conteúdo

 

Ao considerar que política não é profissão e que deve ser exercida por um período determinado com o único intuito de servir à população, o pré-candidato a governador Milton Andrade (PMN) afirma que Sergipe tem hoje uma casta de políticos que fazem da política profissão. “São pessoas que não têm outra ocupação a não ser a política. E esses políticos profissionais quando são rejeitados nas urnas, continuam sobrevivendo às custas do povo em cargos comissionados”, disse Milton.

Aos 30 anos de idade, Milton, que é empresário e advogado, está disputando um mandato eletivo pela primeira vez e já adianta não estar querendo transformar a política em profissão, nem busca um mandato para se sustentar no poder. “Essa é uma função para ser exercida por um determinado período, com foco em trabalhar para ajudar ao Estado e, consequentemente, ao povo, viabilizando a implementação de políticas públicas eficientes e eficazes”, disse o pré-candidato.

Para ele, “a renovação política é uma necessidade para tirar o Estado desse panorama negativo, que o faz ter o maior índice de violência do país, a pior qualidade de ensino e uma saúde em frangalhos, onde pacientes ficam mais de um ano aguardando um procedimento cirúrgico”. Milton frisou que a renovação passa longe do critério idade. “Estamos falando de práticas, de comprometimento para que o Estado saia desse cenário de letargia e de vergonha em que se encontra hoje”, disse.

Por Kátia Santana

Foto assessoria

  Editoria: