“PMA só fala de dinheiro para obra, e para comida?”, questiona Ricardo Marques

fevereiro 11 15:08 2021 Imprimir Conteúdo

Diante de levantamento feito com dados do Tesouro Nacional e do Banco Central onde ‘Estados e municípios fecham 2020 com o dobro do dinheiro em caixa’, o vereador por Aracaju, Ricardo Marques (Cidadania) usou do Grande Expediente da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), nesta quinta-feira (11), para cobrar ações econômicas mais efetivas por parte da prefeitura de Aracaju.

Para o parlamentar, a realidade financeira apresentada na publicação do levantamento mostrou que é possível viabilizar outros tipos de incentivos. “O estudo mostra que o dinheiro em caixa dobrou para várias prefeituras, e o que a prefeitura de Aracaju tem falado desse dinheiro? É só para realizar obra? E o dinheiro para comer, cadê? Eu ando muito pelas ruas e estou acompanhando a necessidade das pessoas, essa ajuda é urgente”, aclamou.

Ricardo acredita que a administração municipal deve avaliar ainda a necessidade de criar um auxílio financeiro para as pessoas mais carentes. “Eu sei que esta é uma obrigação do Governo Federal, mas, diante da gravidade da pandemia, outras cidades criaram seus próprios auxílios. A prefeitura de Aracaju precisa criar uma forma de ajudar as pessoas, está muito tímida em ajudar a população que mais precisa”, afirmou.

Durante o pronunciamento, o vereador Ricardo Marques apresentou ainda uma série de ações econômicas anunciadas pela prefeitura de Belo Horizonte. “O IPTU, por exemplo, poderá ser parcelado em 37 vezes, com o pagamento da primeira parcela só em dezembro. Isso não é renúncia de receita. Acredito muito na sensibilidade dos nobres vereadores e do prefeito de Aracaju, então conclamo que comecemos a trazer essas questões para discussão o mais breve possível”, concluiu.

Por Wandycler Junior

  Editoria: