Perímetro Jabiberi muda sistema de Irrigação pública para economizar água

Perímetro Jabiberi muda sistema de Irrigação pública para economizar água
dezembro 02 16:59 2019 Imprimir Conteúdo

Cohidro também auxilia produtores rurais irrigantes na construção de novos reservatórios

Ao longo de sete meses, o Perímetro irrigado Jabiberi, situado em Tobias Barreto, enfrentou uma crise de desabastecimento. Sua barragem é compartilhada com a Deso e dá prioridade ao abastecimento para consumo humano, também prejudicado pela escassez prolongada de chuvas. Pensando em desenvolver estratégias que previnam prejuízos de abastecimento do período de estiagem, a Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe – Cohidro, administradora do perímetro, resolveu ajustar o período de distribuição de água, passando de nove para cinco horas diárias e, além disso, colabora com os pequenos pecuaristas na construção de reservatórios maiores que, de uma só vez, acumulem toda água necessária para irrigar por um dia.

“Atualmente, a abertura de comportas é feita pela noite. Agora, será pelo dia com ‘canaleiros’ fechando os registros assim que os reservatórios encherem, eliminando o transbordamento e possibilitando a diminuição do tempo de operação para cinco horas. A medida combate o desperdício de água, ao evitar que os tanques transbordem e o uso além do necessário, durante nove horas de disponibilidade de água”, indicou Paulo Sobral, diretor-presidente da Cohidro. Ele informa que a Cohidro também está orientando o plantio de plantas forrageiras nos lotes, para que a silagem ou espécies resistentes à seca, como a palma, atendam o produtor, em caso de novo desabastecimento que impossibilite a produção de alimento para os rebanhos com a irrigação.

Diretor de Infraestrutura Hídrica e Mecanização Agrícola da Cohidro, Carlos Vieira diz que a empresa colocou retroescavadeira e um operador à disposição dos pecuaristas irrigantes. Eles arcam com o custo operacional e o revestimento dos novos reservatórios. “São tanques com mais que o dobro do tamanho, com 100m³, para que seja necessário somente um abastecimento de água por dia. Vai ocorrer a economia de água e a reserva da barragem vai durar mais. Os produtores que revestem o novo reservatório com lona de alta resistência investem R$ 600 na obra. Os que estão construindo tanques circulares em alvenaria, R$ 4.500”. O diretor informou que estão prontas 39 escavações de tanques, dos 74 lotes que o perímetro possui.

Pedro Oliveira e seu pai criam gado de leite no Jabiberi. Ele acredita que o aumento dos tanques vai melhorar a autonomia do perímetro e aprova a troca de turnos de operação. “Quando começar, a gente vai ligar a bomba pra irrigar umas 2h ou 3h, vamos pra casa descansar e só voltamos no outro dia, pra retirar o leite sossegados. É muito importante essa preocupação de economizar e garantir água pra consumo pra todo mundo, isso será muito bom”. Com as mudanças, a família ficou motivada a investir na propriedade e até na renovação do plantel.

Já o José Ricardo, que sempre mantém um rebanho de 10 a 12 cabeças de vacas produzindo em lote, conta que seu leite é vendido para os laticínios da região e que tira em média 65 litros por dia. Para ele, o novo sistema de água e o aumento dos reservatórios trarão mudanças significativas para todos. “Antes a quantidade de água era muito pouca, agora será maior”. O temor de o perímetro Jabiberi voltar a não ter água para irrigar convence os produtores de que é necessário mudar os hábitos, investir e até restringir ao máximo o uso da água na operação do lote. “Foi muito difícil o período sem água, tivemos que comprar água, para ajudar na alimentação do gado e até pra nós mesmos. Sem água não somos nada”, conclui o produtor.

Foto Fernando Augusto

Da assessoria

  Editoria: