Pequeno agricultor do município de Santa Luzia do Itanhy vai pagar óleo de trator da prefeitura

Pequeno agricultor do município de Santa Luzia do Itanhy vai pagar óleo de trator da prefeitura
maio 07 07:34 2022

 

Pela primeira vez na história de Santa Luzia do Itanhy, um município pobre, com mais de 14 mil habitantes, um projeto de lei muito polêmico, que foi aprovado por sete votos a um, vai começar a mexer no bolso do pequeno agricultor, que já vem sofrendo com a pós pandemia do Covid 19.  A emenda desse projeto, de autoria do vereador Delegado Artur (DEM), que favorecia ao trabalhador rural, foi reprovada também por unanimidade.

O presidente da Câmara, Pedro de Beata (PSD), do prefeito Adauto Amor (PSD), disse que o vereador Delegado Artur está jogando para a torcida, mas Artur logo lhe rebateu, que ele está fazendo o papel dele enquanto parlamentar em defender o povo mais humilde e honrando a sua votação que obteve na urna, na última eleição municipal. “O vereador Artur só presta satisfação ao povo, o meu líder político é o povo. Eu só devo satisfação a Deus e ao povo de Santa Luzia do Itanhy”, alfinetou.

O secretário de Agricultura do município, ex-vereador Zé Roberto (PT), esteve nesta quinta-feira, 5, na Câmara de Vereadores, para explanar o projeto, que segundo o Delegado Artur, é um projeto de maldades contra o pequeno agricultor.

O vereador, Professor Jorge (Republicanos), elogiou a atuação do secretário Zé Roberto, dizendo que o prefeito Adauto Amor fez uma escolha correta em colocá-lo para gerir esta pasta porque ele vive a agricultura, conhece o município e que tem vontade de trabalhar. Jorge criticou o projeto, dizendo que via um grande impasse, que as dificuldades estão grandes, mas votou a favor que o pequeno agricultor rural pague o óleo (10 litros por hora) do trator público, para ter sua terra arada. “Isso dificulta colocar a máquina plenamente à disposição dessas pessoas que precisam do trator”, defendeu.

O autor da emenda, vereador Delegado Artur, que através da sua emenda, se aprovada fosse, ia favorecer o pequeno agricultor para não ter que pagar o combustível do trator, que pertence a prefeitura, rebateu o comentário do vereador Professor Jorge, que dissera que torcia para voltar a gratuidade, mas Artur falou que o momento não é de torcida e sim, de votar na emenda que ele produziu e o pequeno agricultor não ter que pagar nada pelo trator. Resultado, Jorge e os demais votaram contra a “emenda do bem”.

Na defesa do Delegado Artur, ele salientou que o pequeno agricultor de Santa Luzias do Itanhy, está com seu sítio e com sua roça, saindo de uma pandemia; com as estradas ruins; falta de apoio (nem do município e quase nada do Estado), dificuldade no cultivo, na produção e o prefeito do município Adauto Amor, entregando esse pacote de maldades, que é o “Projeto da Patrulha Agrícola”.

De acordo com o Delegado Artur, esse projeto que coloca em lei, para que o agricultor sofra os encargos, que tenha que pagar um trator, que nunca se pagou em Santa Luzia do Itanhy. “Nós vimos gestões com dificuldades financeiras terríveis, e hoje estamos vendo que os municípios e os estados estão em situações melhores pós pandemia, os cofres melhoraram, todo mundo sabe disso, e recentemente nós vimos uma licitação para compra de material (palco, iluminação, banheiro químico) para realizar festa e agora ter que cobrar o óleo do pequeno agricultor”, lamentou Artur.

Entristecido com o projeto, que ele batizou como “pacote de maldades”, o vereador Delegado Artur, chamou a atenção do secretário Zé Roberto, “o senhor é dos quadros do Partido dos Trabalhadores (PT), e esse projeto deve doer dentro do seu coração e ter que fazer isso com o pequeno agricultor de Santa Luzia do Itanhy. Esse projeto é muito grave, cobrar do pequeno agricultor que não tem apoio, é dizer para ele se virar sozinho. Eu ando o município completo, e vejo que o pequeno agricultor está infeliz para fazer esse pagamento, onde o município, quase sua totalidade, vive da agricultura. O pequeno agricultor, esse não teve apoio, não teve sementes e agora tem que pagar o óleo para o trator da prefeitura”, destacou Artur.

Para o vereador Delegado Artur, a aprovação desse projeto, vai doer no bolso do pequeno agricultor. “Esse é um projeto de maldades do prefeito Adauto Amor”, definiu o parlamentar.

Por Magno de Jesus

  Editoria: