PC realiza operação em secretaria da prefeitura de Socorro

PC realiza operação em secretaria da prefeitura de Socorro
agosto 07 18:40 2018 Imprimir Conteúdo

Uma operação realizada por policiais do Departamento de Crimes contra Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) em Nossa Senhora do Socorro na tarde desta terça-feira (07) terminou com a prisão de dois servidores. Eles são investigados por desvio de mais de um milhão de reais que deixaram de ser recolhidos.

Conforme informação passada anteriormente policiais do Deotap dirigem a investigação que desviou recursos que seriam para o pagamento do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU). A estimativa é de que o município não tenha recolhido quase R$ 1 milhão entre os anos de 2014 a 2016

No inicio da noite a SSP emitiu uma nota confirmando a operação publicada e  que o Deotap mantém os detalhes da investigação sob sigilo e realizará novas diligências.

Confirmação da SSP

O Departamento de Crimes contra Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) investiga uma possível fraude cometida por servidores da Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro no repasse de recursos para o pagamento do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU). Duas pessoas foram presas por agentes do Deotap. A fraude aconteceu entre os anos de 2014 a 2016.

Desde 2014, um servidor, com cargo comissionado e exonerado em 2016, recebia dinheiro de despachantes, acessava o sistema que gere o registro de pagamento do IPTU e abonava valores, como se estes já tivessem sido pagos. O Deotap suspeita que, neste período, cerca de R$ 1 milhão foi desviado por este servidor. Uma outra pessoa, que tentava atrapalhar as investigações, também foi presa e encaminhada a uma Delegacia da capital.

Os valores abonados sempre aconteciam manualmente e fora do horário do expediente, muitas vezes à noite e até na madrugada de locais, de acordo com a investigação, fora da estrutura da administração pública. A Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro deu todas as informações necessárias solicitadas pela Polícia Civil. O Deotap solicitou um relatório e descobriu que mais de 200 baixas manuais foram realizadas, com um prejuízo estimado de R$ 1 milhão.

Em 2015, uma senhora tentou fazer a transferência do imóvel e, quando chegou na Secretaria de Finanças da Prefeitura, descobriu que o IPTU não tinha sido pago, embora ela tivesse passando o valor para um despachante que intermediava a venda do imóvel. As investigações do Deotap tentam agora descobrir quem seriam esses despachantes, se havia acordo com os funcionários presos e outros detalhes.

O Deotap mantém os detalhes da investigação sob sigilo e realizará novas diligências. Quando possível, a delegada responsável dará detalhes sobre o trabalho.

  Editoria: